IGREJA

PARA RECEBER ESSA APOSTILA EM PDF ENVIE UM EMAIL PARA:  questioneedescubra@gmail.com


8iii
O QUE É A IGREJA?
Saiba de uma vez por todas o que é templo e o que é igreja.


      Por Letícia Romero

  INTRODUÇÃO
Primeiramente quero informá-lo de que todo conteúdo destes estudos são opiniões e conclusões minhas a fim de alertá-los sobre algumas questões muito interessantes. Peço para que você ao ler minhas colocações tenha sempre em mãos a Bíblia onde contém as Escrituras Sagradas, e peça ao Espírito Santo para que tire todas as dúvidas do seu coração e confirme a verdade.
Posso garantir que o conteúdo destas apostilas NÃO É VENTO DE DOUTRINA, nem outro evangelho, mas sim o evangelho que sempre existiu, e foi menosprezado ao longo dos séculos.
Enfatizo que não sou dona da verdade, mas com amor quero te fazer conhecer aquilo que Deus tem colocado em meu coração para despertamento, desde já agradeço.
Deus te abençoe!



APOSTILA 1 

       

IGREJA DO SENHOR

         “Pois também eu te digo que tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” (Mt 16.18)
         A igreja começou tendo por princípios a humildade e o amor, Jesus disse a Pedro que Sobre ele edificaria a sua Igreja. De acordo com as Escrituras Igreja são as pessoas que tem a mesma fé e um mesmo propósito, não pertencem a esta terra (Hb 13.14), tem o dever de ter uma vida em COMUNHÃO real e pessoal com Deus, à igreja é o corpo de Cristo do qual Ele mesmo é o Cabeça (Cl 1.18), a Igreja do Senhor é INVISÍVEL, pois é o conjunto de todos os crentes verdadeiros, que estão sobre a face da terra.
         Paulo escreveu às Igrejas, que eram pessoas que se reuniam em diversas localidades, “À igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados santos, com todos os que em TODO LUGAR invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo.” (1 Co 1.1)
         Vemos aqui que a igreja primitiva era composta de pessoas que estavam naquela cidade e tinham a mesma fé, não eram congregações ou templos, a Bíblia mostra que eles se reuniam em casas (Rm16:5-16), mantendo uma comunhão mais íntima entre eles, Vamos compreender a visão que Jesus tem da Igreja: “Para que todos sejam um, como tu ó Pai o és em mim, e eu, em ti; que também eles sejam um em nós.” (Jo 17.21), ou seja, a Igreja tem que ter UM SÓ pensamento, UMA SÓ visão e UM SÓ propósito em qualquer lugar que se encontre.
         Hoje temos como modelo da fé em Cristo, a religião evangélica onde se tem a “certeza” de que se está seguindo o verdadeiro evangelho, então vamos verificar uma coisa, se esta é a igreja do Senhor qual denominação está certa? O que vemos são as diferenças de doutrina, de usos e costumes, diversas liturgias, pensamentos e opiniões que levam a uma série de divergências em todas as denominações evangélicas existentes (Universal, Mundial da Fé, Assembleia de Deus Vitória em Cristo, Igreja da Graça, Ass. De Deus dos Últimos dias, Deus é Amor, Nova Vida, etc.), qual delas se encaixa na unidade expressa por Jesus em sua oração ao Pai?
         Vamos analisar Efésios 4 :14-15 “Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo vento de doutrina, pelo ENGANO dos homens que, com astúcia, enganam fraudulosamente. Antes seguindo a verdade em AMOR, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo.”
         Então quem está com a verdade? Aquela igreja que compra bênçãos com dinheiro?  Aquela prega mais sobre as coisas materiais da terra do que o reino? Ou uma que impõe usos e costumes? Percebe o quanto diferente são essas visões? Todos “cultuam” a Cristo mas estão seguindo por atalhos opostos.
Veja o que Lucas diz em Atos 4.32-35 sobre a igreja primitiva: “E eram UM SÓ coração e alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas TODAS AS COISAS lhes eram COMUNS. E os apóstolos davam com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles haviam abundante graça. Não havia, pois entre eles NECESSITADO ALGUM, porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as traziam o preço do que fora vendido e o depositavam aos pés dos apóstolos. E repartia-se a cada um, segundo a NECESSIDADE que cada um tinha.”
Isso se parece com a “Igreja” de hoje? Temos um só coração ou alma, com todas estas diferenças? Tanto entre denominações e dentro delas o que observamos são templos luxuosos e seus membros a beira da mendicância, pessoas com carros e casas luxuosas enquanto seu irmão come o almoço e não tem o que jantar, perseverando na ilusão de que as coisas vão melhorar. Não falo para vendermos os bens que possuímos, que só se consegue com trabalho e muito esforço, e sairmos distribuindo aos pobres, mas existem variadas formas de se ajudar as pessoas efetivamente. O que ocorre é que cada um vive sua individualidade sem se importar com a real necessidade do próximo que na maioria das vezes não é comida nem bebida, mas afetividade e sinceridade das pessoas. Com certeza o que vemos hoje não é a Igreja do Senhor, pois, como eu disse antes ela é invisível, o que vemos MUITAS VEZES são templos que aglomeram multidões, pessoas que estão sendo dominadas por doutrinas fantasiosas, que parecem não estar funcionando, pois elas estão ano após ano caindo nas mesmas tentações repetindo as mesmas orações não atendidas, não vendo provas da voz de Deus se perdendo num mar de dúvidas e frustrações.

Questione: A religião evangélica é a igreja de Cristo?

         Algumas pessoas podem alegar: Estas diferenças de denominações são a “multiforme graça de Deus” que age em todo o lugar por meio de todos, atente que isso é apenas uma banalização no meio evangélico, como muitas outras do tipo, pois o contexto do versículo que fala sobre isso, (1Pe 4.10) não está relacionado com as diferenças de pensamentos e doutrinas, mais sim com os dons espirituais que só tem o objetivo de dinamizar e conservar a unidade da igreja verdadeira. A religião evangélica somente está preocupada com nossas ofertas e nossos dízimos, (item principal nos cultos em todas elas); no modo como nos vestimos, mais não se importa com o que sentimos e o que somos, de onde viemos e para onde vamos. Isso dá muito trabalho e leva tempo, e na atual conjuntura o tempo é caro demais, é mais fácil descartar as pessoas que não se enquadram no “modelo evangélico de ser” e substitui-las por quem não questione o sistema, é isso que a religião faz, se utilizam do esforço humano para se achegar ou apaziguar a Deus.
         Outras dúvidas que podem surgir em relação às diferenças de denominações são: Os milagres não ocorrem lá? Pessoas não são salvas? O número de pessoas no templo não indica o número de pessoas salvas, e não podemos falar que alguém está salvo só pelo fato de estar no templo, ou fazendo milagres, maravilhas, curas, libertação ou até falando sobre salvação (Mt 7:21-23), pois ela é individual e só cabe a Deus a garantia da salvação, não é só porque um templo está superlotado que ali se está fazendo uma grande obra de salvação de vidas, pois qualquer um pode, em nome de Jesus que é poderoso e santo, fazer milagres sem ao menos ser fiel ao dono do nome (Fl 1:15-18), podemos ser crentes excepcionais aos olhos dos outros, mas não saber a essência do que isso significa.
 Em Marcos 9.38-41 Jesus diz que, quem não é contra nós, é por nós. Ele diz que aquelas pessoas motivadas pela Graça de Deus estavam fazendo milagres com o seu nome, mas não tinham sido escolhidos, como os apóstolos para saberem todas as verdades que eles foram descobrindo com a convivência em Jesus, e mesmo no verso 39 quando Jesus diz que “ninguém há que faça milagre em meu nome possa falar mal de mim” ele está dizendo que quando uma pessoa faz uma maravilha em seu nome, Ele está sendo glorificado, pois a pessoa não está “falando mal de Jesus”, e sim fazendo uma divulgação de seu nome; se Jesus é o nome sobre todo o nome merece alguma promoção e consequentemente alguém será abençoado. Se algum líder de um ministério, grupo ou denominação opera sinais e maravilhas, não quer dizer que aquele líder anda na verdade do evangelho (2Co.11:13-15), se no templo desses líderes pessoas são curadas, libertas, cegos enxergam, coxos andam, isso pode não estar relacionado com a salvação e a verdade do puro evangelho, mas sim com engano de satanás próprio para confundir as multidões suscetíveis ao erro (2Ts.2:9-11).

CORPO DE CRISTO

Paulo em 1 Cor 12:12-31, diz que somos um corpo, não importando qual raça ou cor, vida financeira, status social (...), e como um corpo tem vários membros (olho, nariz, boca...), a igreja do Senhor tem pessoas com diversos talentos e dons, umas são membros mais fracos, mas necessários. No versículo 23 ele fala sobre sempre sermos humildes uns para com os outros e com os membros mais fracos, servi-los como sendo os mais importantes (isso acontece nos templos? Ou só damos honra a quem tem um cargo ou uma influência?), no verso 25 ele diz que no corpo TODOS têm a mesma importância , como no nosso corpo a boca tem a mesma importância que o ouvido e o olho, assim por diante, e por isso temos que ter um IGUAL cuidado , sofrendo e se alegrando com todos, a Igreja é o corpo de Cristo e cada um de nós somos seus membros em particular. Como pode o fígado maltratar o coração, ou o dedo maltratar o pulmão, não estaria maltratando ele mesmo? Perceba que nada do que Paulo fala aqui se relaciona com templo FÍSICO, mas com um cuidado pessoal, sendo na rua, na casa, no trabalho, ainda mais porque naquela época eles se reuniam nas casas tendo maior intimidade e sabendo dos problemas uns dos outros com mais frequência. No versículo 28 Paulo não fala de hierarquia, mas sim da diversidade de dons na sua igreja. Então ninguém pode usar esta passagem para falar sobre as diferentes denominações em nosso meio que tem ensinamentos totalmente diferentes uma das outras fazendo com que seus membros se achem até superiores ou mais santos do que aqueles que frequentam outro templo, e isso foge da mentalidade de um corpo expressa pelo apóstolo.
         Lembre-se que Igreja é o povo de Deus espalhado pela face da terra, não são os católicos, espíritas, mórmons nem muito menos os evangélicos que herdarão o reino dos céus, mas sim aqueles que fazem a vontade de Deus. O corpo tem UM cabeça que é Jesus Cristo somente Ele (Ef 5:23), não um pastor, padre ou um líder.  Verifique se o que seu líder está dizendo é o mesmo que Jesus diz através de sua palavra.


Questione: A Seita de Jose de Luiz de Jesus Miranda, que se intitula Jesus Cristo o homem (666) é evangélica; a Igreja Contemporânea, que faz casamento gay, é evangélica; G12 é evangélica, entre outras. (Pense)

         Em 1 Coríntios 3.16 vemos: “Não sabeis VÓS que SOIS O TEMPLO de Deus e que o Espírito de Deus Habita em vós?” Percebo aqui que EU sou o templo de Deus e Ele habita em mim. Jesus quando disse aos fariseus que destruiria o templo e o reconstruiria em 3 dias ele estava falando dEle mesmo (Jo 2.19), ou seja, depois da morte de Jesus se fez uma NOVA ALIANÇA e hoje não existe mais templo físico mas sim um espiritual que somos nós mesmos (1 Co 6.19; 2 Co 6.16), nem Ele habita mais em templos feitos por mãos de Homens “O Deus que fez o mundo e tudo o que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens” (At 17:24).
         Na velha aliança existia o templo que Davi sentiu no coração de construir, ele se sentiu mal, pois arca do Senhor, que representava a presença de Deus, estava em tendas e ele em palácios. (2 Sam 7), ali era a casa do Senhor, onde Davi queria tanto estar (Sl 122.1), hoje nós somos a casa de Deus e o seu templo, após a morte de Jesus o véu do Templo se RASGOU quebrando a velha aliança e começando o tempo da graça de Deus (Hb7:12). Depois falaremos mais sobre isso.

RESPEITANDO O TEMPLO DE DEUS

         A partir do momento que tomamos consciência de que somos o templo de Deus passamos amar e respeitar este templo. Hoje temos tanto zelo por um lugar em que nos reunimos, mas não damos a mesma importância para o nosso irmão que é o TEMPLO, E NELE ESTÁ O ESPÍRITO DE DEUS! Damos tanto valor ao lugar de culto, mas esquecemos das pessoas, alvo principal da nossa atenção para obtermos verdadeira comunhão e adoração a Cristo. “Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis” (Jo13.34)
Na Parábola do Samaritano Jesus explica a Nicodemos quem é o próximo, e a quem nós devemos AMAR como a nós mesmos (Lc 10.32): Um judeu foi roubado e agredido em um lugar, passou o Sacerdote, que era o chefe da casa do Senhor, que conhecia as leis de Moisés e vivia para servir a Deus, e não fez nada, afinal ele devia estar muito atarefado com seus afazeres no templo e não tinha tempo para ajudar ninguém, depois passou um Levita (por mais que vocês pensem que são os cantores de hoje, não são), eles eram a tribo escolhida para cuidar da casa do Senhor, mas um levita era abaixo do sacerdote, contudo ele vivia também para servir ao Senhor dia e noite, viu seu irmão caído e passou direto, depois veio um Samaritano, que fazia parte de um povo com opiniões totalmente diferentes dos judeus onde os dois nem se comunicavam ou se cumprimentavam, pois os judeus se achavam superiores a eles, então este mesmo samaritano, cuidou das feridas daquele judeu e levou-o a um aposento com tudo pago, ele viu a necessidade do próximo mesmo sendo diferente dele.
Hoje o que vemos? Existe amor ou competição na maioria dos Templos? (não generalizei), a minha santidade ou o meu cargo me impede de parar e cuidar das pessoas que precisam, ás vezes nem cuidar, mas ouvi-las gastar tempo, afinal você está falando com o Templo de Deus e Ele habita naquela pessoa.
Paulo fala na carta aos Gálatas 6:10 “Enquanto temos tempo façamos o bem a TODOS (ímpios também), mas principalmente aos domésticos na fé”, se as pessoas que estão necessitadas nos templos são carentes de nossa ajuda (material, atenção, preocupação) e não ajudamos, quanto mais aos ímpios.

NOVO TESTAMENTO É RENÚNCIA E NÃO CONQUISTA! Veja o exemplo dos apóstolos.

O que vemos são alguns líderes que muitas vezes nos ensinam a se preocupar com nossa vida terrena, fazendo com que nós determinemos nossa vitória, como se Deus fosse alguma fada madrinha, que realiza nossos desejos na hora que queremos,(Pode ter funcionado para você em algum momento, mas tenho certeza que muitas pessoas que “determinaram” não receberam nada), ou que nos faz manipular a Deus com nossas ofertas ou com alguma campanha que fazemos, como se Ele fosse comprado por dinheiro, e por consequência até nos afastamos dEle achando que não nos responde ou que não vê "nossos esforços", pois não nos ama, mas e sim aquele irmão que sempre é “abençoado”, e por mais que nós nos esforcemos Deus continua não ouvindo nossas orações, pois como esses líderes nos ensinam Deus quer sempre o melhor para os seus filhos, e quer mesmo! Mas não tem que ser da maneira que nós achamos ser a melhor, saiba que nós somos amados não pelo que podemos fazer para Deus, mas sim por que Ele deseja nos ter como um de seus filhos. Comece a perceber as pregações que falam de conquista de bens materiais, elas quase sempre citam o velho testamento, por que essa é uma característica da Velha aliança.
Jesus foi claro quando falou sobre as coisas materiais desta terra, que não devemos nos preocupar (Mt 6:25-34), Ele alimenta as aves do céu e veste a erva do campo, por que não nos vestiria ou nos alimentaria? Nossas orações estão cheias de petições temporais e buscamos muito pouco o reino. Não estou dizendo que não vamos pedir nada, mas nossas necessidades tem que estar dentro dos projetos de Deus, por isso mesmo Ele fará se for da vontade dele, no tempo dEle,  mas não devemos ficar vivendo em função disso e sim entregar nossas vidas na mão de Deus e deixar que Ele faça tudo á sua maneira, isso não será fácil para nós, que já estamos mergulhados em um sistema que não nos deixa depender e viver a vida de Deus (2 Co 4:18; 2 Co 4:10; Fp 2:13; Fp 4:19).
O Senhor sabe o que necessitamos conhece os nossos problemas e quer resolvê-los junto conosco, temos tudo o que precisamos para hoje, se não tem até o final do mês espere em Deus e viva nEle. O que temos que pedir a Deus hoje é para nos ajudar a ver o quanto Ele nos ama mesmo quando as coisas não estão fáceis, não nos preocupando com o amanhã mais vivendo com Ele a alegria do momento, reagindo ao que Ele coloca a nossa frente, a liberdade de simplesmente segui-lo nos transformará.


OBSERVE:
         Igreja é uma palavra grega que traduzida literalmente significa “CHAMADOS PARA FORA”, já vimos que a igreja não é nenhum tipo de instituição, pois Jesus não morreu para comprar edifícios e lugares, Ele morreu para nos comprar; pessoas que estavam no mundo mergulhadas no pecado, além do mais, de acordo com a história, esse modelo de templo fixo onde pessoas se reuniam foi criado por Constantino que se “converteu” ao cristianismo (312 D.C), para depois de alguns anos aparecer uma religião geral (Católica) que tinha um pouco de todas as religiões.
         Sabemos também que segundo a Bíblia, Jesus não estabeleceu uma instituição nem habita numa organização, mas nos que O obedecem e vivem por Ele (Jo 14:15-23), Paulo vivia guiado pela vontade de Deus e onde Deus o mandava ir ele ia (Gal 1:17-21), dormia e não sabia onde estaria amanhã. Não se pode contar os membros deste corpo que é universal só Deus sabe identificar os Seus, a igreja é um reino espiritual que NÃO É DESTE MUNDO.
         Somos a casa de Deus (1 Pe 2:5), Ele é o nosso pastor (João10:11), e nós somos o seu rebanho (Jo 10:27). Hoje para nós é muito difícil viver uma vida espiritual pois não sabemos viver esta vida, precisamos sempre ver algo físico, um pastor  físico, um lugar físico, para ficar mais fácil e não sabemos que muitas vezes isso impede que ouçamos a voz de Jesus, que é o nosso Pastor e de vermos nosso próximo como o verdadeiro templo.

LEI DE MOISÉS E GRAÇA

Analisando o velho testamento sabemos que tudo o que está escrito ali é para o povo de Israel e que os gentios (nós), não éramos bem vindos, até Jesus veio primeiramente para este povo. Antes do templo existia o Tabernáculo que abrigava a arca do Senhor representando a presença de Deus (época de Moisés), depois de entrarem na terra prometida, Davi percebeu que a arca do Senhor estava em tendas e ele em palácios colocou no seu coração a vontade de erguer um templo ao Senhor, ele deixou tudo preparado para que Salomão, seu filho, erguesse o templo, e assim foi feito, ali era a casa de Deus onde habitava sua presença (Sl 65:4; Hbc 2:20...).
Mesmo que na nossa Bíblia esteja escrito “Novo Testamento” na frente de Mateus, Marcos, Lucas e João, TODA A TRAJETORIA DE JESUS AINDA É VELHO TESTAMENTO, Jesus viveu sobre a Lei de Moisés e a cumpriu (Gal 4:4), iniciando a Graça APÓS sua morte, então o novo testamento ou nova aliança se inicia depois de sua morte. Todas as vezes que, no seu ministério e depois, se falava sobre templo, ele estava falando de nós (Jo2:9; Jo2:21; 1Co 3:16; 1Co3:17...).
          Precisamos colocar em nossa cabeça que, SOMOS O TEMPLO DO SENHOR, estou falando de acordo com as Escrituras. Na velha aliança existia o templo físico onde Deus morava, quando Jesus veio e morreu, o véu do templo se rasgou (MT 27:51), e o Espírito passou a habitar em nós (At 2).
         As Escrituras registram que Jesus não veio abolir a lei mas cumprir (Mt 5:17-20), é claro! Ele estava sob a lei, todos sabemos que a Graça só começou após a sua MORTE, então Ele precisava cumprir a lei mesmo! Tanto que no verso18 deste mesmo capitulo Ele diz que “nada se omitirá da Lei sem que tudo seja cumprido”, o que é este cumprimento? A vida e a morte dEle, pois nenhum homem seria capaz de cumprir e aperfeiçoar a lei. O sacrifício de Jesus nos leva a exceder o entendimento da lei, ou seja, “não matarás!” na graça é o mesmo que dizer: não maltratarás o teu próximo, o “não adulterarás” da lei, se torna mais abrangente na graça, pois quem olha uma mulher e a deseja, já cometeu adultério com ela (Mt 5).
Imagina os fariseus, que cumpriam a lei de Moisés, estavam no templo e eram os maiorais da cidade, eles tinham absoluta certeza que a lei fora dada por Deus, de repente aparece alguém falando que eles estavam errados e que Deus tinha OUTRO PLANO para os judeus e para humanidade, uma pessoa que confrontava aqueles que foram escolhidos para servir a Deus, que os chamava de Hipócritas, Sepulcros caiados, Mentirosos, esta pessoa era Jesus, Ele foi mal compreendido e perseguido porque falou a verdade.
         Existe uma diferença entre Lei de Moisés e Lei de Deus, a Lei de Deus foi dada a Moisés no monte Sinai, que são os 10 mandamentos (Ex 20), essas mandamentos foram compactados em Gálatas 5:14, é fácil entender que amando a Deus e ao nosso próximo, nós não roubaremos, não mataremos; conseguiremos cumprir a Lei de Deus que se baseia no AMOR e não foi abolida, nem tem como ser, mas a Lei cerimonial dada a Moisés que foram todas aquelas ordenanças de circuncisão, templo centrismo, sacrifícios, etc. (Êxodo, Levítico...), não precisam mais ser cumpridas.
Quando Jesus morreu ACABOU A LEI CERIMONIAL E OS MANDAMENTOS DE MOISÉS, FOI ABOLIDA, NÃO EXISTE MAIS. Em 2Co 3:14 está escrito: “Mas o seus sentidos estão endurecidos, por que até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual FOI POR CRISTO ABOLIDO”. Não sou eu quem está falando, mas o Apóstolo Paulo, pesquise na Bíblia e tenha a certeza que a morte e ressurreição de Jesus aboliram a lei de Moisés isso vai ser muito importante para você compreender assuntos que trataremos futuramente.
Hb 7:12 – Muda o Sacerdote muda a lei
(Lei) sacerdote Moisés - (Graça) sacerdote Jesus
Hb 7:18 – Fraqueza e inutilidade da Lei
Gal 3:13 – Maldição da Lei
Gal 3:10 – Quem cumpre uma coisa da lei e não cumpre as outras e está debaixo de maldição.
Gal 2:18 – Paulo fala que quem torna a edificar a lei se tornará transgressor.
É bom ler todo o livro de Gálatas, que só trata sobre sair da lei e ir para Graça.
Gal 2:21 – Se a justiça é mediante a Lei Cristo morreu em VÃO.
Hb 7:28 – A lei tinha sumos sacerdotes fracos, mas a Graça um filho perfeito, Jesus.
Vamos ver algumas diferenças da Lei para Graça:
LEI de Moisés
GRAÇA em Jesus
A Lei está baseada nas obras (Gal 3:10)
A Graça é baseada na Fé
(Gal 3:11-12)
A Lei nos instrui (Gal3:24)
A Graça certifica nossa liberdade
(Gal 4:30-31)
A Lei nos coloca debaixo de maldição (Gal 3:10)
A Graça nos justifica pela Fé (Gal 3:3-24)
Legalismo é um fardo que nunca era tirado, obrigando-os a fazerem sacrifícios.
Graça é Liberdade, pois Jesus se fez sacrifício por nós.
Fonte: A Bíblia da Mulher- Sociedade Bíblica do Brasil Ed. 2008 pág. 1483. Com comentários meus.

Em Rm 7:7-25 (Vou escrever com minhas palavras, leia na Bíblia com atenção para que Deus tire toda dúvida do seu coração, algumas pessoas podem usar esta passagem para te confundir), Neste capítulo Paulo começa dizendo que a Lei não é pecado, mas induz ao pecado, (v8) pelo mandamento despertou o pecado em nós, pois sem a lei morto estava o pecado, (v9) ele vivia sem lei por algum tempo, mas quando veio a Lei o pecado reviveu e ele morreu, (v10), pois estes mandamentos, que eram para vida, ele percebeu que eram para morte, (v11), por isso ele estava morto pelo mandamento, (v12), Porém a lei é santa e o mandamento santo, justo e bom, (v13) mas Paulo se tornou bom em morte? Não, mas isso serviu para que o pecado aparecesse, para que pelo mandamento o pecado fosse abominável, (v14), a Lei é espiritual, mas ele (como nós) é carnal,(v15), porém o que ele faz, não aprova e o que ele quer fazer ele não faz, mas o que ele aborrece isso ele faz,(v16), e se ele faz o que não quer então ele está de acordo com a lei, que é boa, (v17), mas agora não é mais ele que faz isso mas o pecado que nele habita.
Ao longo do capítulo Paulo fala sobre o conflito de uma pessoa que está debaixo da lei tem, ele fala como se estivesse sobre a lei, no verso 22 ele diz que segundo o homem interior ele tem prazer na lei de Deus (que é a lei do AT), mas no verso 23 ele luta contra ele mesmo, por que existe uma outra lei que batalha contra o seu entendimento (sua carne) e o prende debaixo da lei do pecado (lei de Moisés), então no próximo versículo ele se humilha se chamando de miserável por esta condição que a Lei o colocou, então no versículo 25 ele da graças a Deus por Jesus Cristo, pois sabe que ele mesmo com entendimento serve a lei de Deus, mas com a carne serve também ao pecado. Ele sabia que entendendo os mandamentos de Deus isso ainda o prendia no pecado, por isso ele deu graças a Deus por ter enviado Cristo, pois foi o único que conseguiu cumprir os mandamentos e trouxe a nossa redenção. Esta resposta está sendo colocada no cap. 8, a nova vida embaixo da Graça, leia e veja a liberdade que Jesus nos proporcionou, no verso 2 ele fala que Jesus nos livrou da Lei que como já vimos no capítulo 7, era do pecado e da morte, e Jesus conseguiu acabar com o pecado da carne, essa é a justiça da lei que se cumpriu em nós, pois não andamos mais sobre a carne (Lei), mas sobre o espírito.
Atente para uma coisa, algumas vezes quando se fala de carne nas escrituras não está relacionado diretamente com pecado da carne como nós pensamos, mas sim com as práticas da Lei que nos leva à inclinação da a carne, vemos isso em Gal 3:3, por exemplo, se você ler o capítulo todo perceberá que ele estava falando de sair da graça para voltar à Lei, tanto que em 2 Co 5:16 Paulo diz que “Assim que daqui por diante a ninguém conhecemos segundo a carne (lei), e ainda que também tenhamos conhecido CRISTO SEGUNDO A CARNE (segundo a lei), contudo agora já o não conhecemos deste modo.” Carne neste versículo não está relacionado com pecado nem com corpo humano, mas com a Lei de Moisés.
Nestes capítulos de Romanos, Paulo está falando sobre a Lei que está baseada na carne (se não entendeu isso leia Romanos 7 novamente), e a Graça que nos faz viver no Espírito. Toda vez que se fala carne nestes capítulos refere-se à Lei, o capítulo 8 é a continuação do 7°, nas cartas não vinham separados por epígrafes como em nossa Bíblia.
Nesses versículos quando se fala na Lei do Espírito, não está se falando da Lei de Moisés, mas sim de uma lei moral, o Espírito passa a habitar em você e rege sua vida, com as leis dEle, você não vive mais, mas Cristo vive em você, (Gal 2:20; Fl 1:21), Paulo está fazendo uma comparação nestes capítulos de Romanos.
Pode surgir uma dúvida em sua mente, mas Paulo no v12 do Capítulo 7 de Romanos, diz que a Lei é santa e o mandamento santo, justo e bom? Ele não estaria se contradizendo? Primeiro que já entendemos que naquele capítulo ele está falando como se estivesse na Lei de Moisés, e mostra as consequências de quem segue esta Lei, propondo-se a razão da sua anulação por Jesus, e segundo por que ninguém a conseguiu cumprir, mostrando-se a imperfeição do homem, mostrando isso ela se torna boa e justa, pois gerou nossa redenção, é santa porque só Jesus conseguiu cumprir e exceder a lei. Pense comigo se não existisse a Graça nós estávamos condenados, pois só fomos adotados segundo ela, (lembre-se a Lei de Moisés não é para nós, mas para Israel).
 Por que a Lei existiu? Isso é explicado em Gálatas 3:19-22, “tinha que se ter uma lei por causa das transgressões do povo de Israel, a Lei não é contra as promessas de Deus, por que se dentro da lei tivesse outra que pudesse dar vida e justiça na verdade a Lei seria apenas mais uma lei, mas a Escritura ENCERROU TUDO (A LEI) SOB O PECADO, para que mediante a fé em Jesus Cristo, fosse a Promessa concedida aos que crêem.”

Se alguém te ensinou que Cristo não aboliu a Lei ele está indo contra a palavra de Deus.  Analisem uma coisa comigo, Deus fez uma aliança com Abraão e toda história do velho testamento são fatos ocorridos com o povo de Israel, gentio não era bem vindo, alguns que ajudavam Israel eram abençoados, mas as promessas eram SOMENTE PARA ISRAEL, creio que irá concordar comigo, não estou dizendo para não lermos o Velho testamento, devemos ler para adquirir conhecimento e não para prática, conhecer a velha aliança não cumprir o que ela manda, Paulo diz em 2Co 3: 15-16, “Que até hoje quando se LÊ MOISÉS está posto sobre o coração deles o véu (tirado por Jesus), mas quando se CONVERTEREM ao Senhor este véu se tirará” imagina aqueles que cumprem a lei de Moisés ainda nos nossos dias.
Em Gálatas 3:6-14, Paulo fala sobre Abraão. Nós que somos filhos da fé somos filhos também de Abraão, pois Deus já sabia que o evangelho chegaria a nós GENTIOS, então falou a Abraão dizendo que nele seriam benditas todas as famílias da terra, por isso somos abençoados como Abraão (É somente esta relação que nós temos com Abraão), no verso 14 ele diz que a bênção do patriarca chegou até nós, em Jesus Cristo, e recebemos pela fé o Espírito prometido, não está sendo falado aqui que todas as promessas de Israel são para nós.
Em Hebreus 8 e 9 o autor trata da nova e velha aliança, no versículo 6 do capítulo 8 o autor fala que a Graça é muito mais excelente, pois é um melhor concerto que está confirmado em MELHORES PROMESSAS e no verso 7, fala que se a Lei fosse irrepreensível não se faria necessário a Graça e nem a morte de Jesus (por que por meio dEle que veio a Graça), e no verso 13 ele diz que quando Israel se converter de seus pecados (pois ainda estão na Lei), eles dirão que este é um novo concerto e que o primeiro envelheceu portanto está perto de acabar. No capítulo 9 são explicadas as ordenanças da Lei, no verso 11 mais uma vez é confirmado que Jesus não habita em templos feitos por mãos, Ele é o nosso novo sacerdote.

“TODA A LEI SE CUMPRE NISSO: AMARÁS O TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMO” (Gal 5:14).

LEMBRETE: Todos os 10 mandamentos nós cumprimos hoje, pois amando a Deus e nosso irmão, estamos cumprindo o que Deus ensinou lá no início. Os 4 primeiros mandamentos relaciona-se em como amar a Deus, e os últimos 6 em como amar ao próximo, os mandamentos sempre foram bons e são até hoje, mas não eram capazes de nos fazer viver mais próximos de Deus e ter uma relação mais íntima com Ele em Jesus(Gal 5:14).

Característica da lei:
Se você não consegue perdoar ou sente mágoa de alguém é por que não conhece a Jesus, Davi pedia a Deus para matar e humilhar seus inimigos por que estava na velha aliança, hoje é totalmente diferente é perdoar e orar por seus inimigos, (Mt 5:43-44), sabendo que eles estão sendo usados por satanás (Ef 6:12). O triste é que nos ensinam hoje a pedir a Deus exaltação diante dos nossos adversários, só se for diante do diabo que é o ÚNICO ADVERSÁRIO.

TEMPLOS FÍSICOS E A OBRIGAÇÃO RELIGIOSA

         Vamos analisar uma coisa na igreja Primitiva, eles foram impactados pelas boas novas, onde foram resgatados da lei para uma nova aliança mais íntima e próxima com Deus, onde um ajudava o outro, como nós já vimos não existiam ricos nem pobres, e eles oravam juntos, cantavam juntos, na casa de alguém, ou pessoas que estavam em uma certa localidade que serviam a Jesus (1Co1:2), não tinham uma OBRIGAÇÃO RELIGIOSA, que é como um fardo pesado em nossos dias, eles sabiam que quando as pessoas descobrem o que significa viver no Pai não teriam a necessidade de compromisso para se manterem ligadas.
         As pessoas podem se reunir, na mesma fé de um só Senhor, tanto em um templo físico, como em uma casa, ou no shopping, ou na hora do almoço no trabalho, nós estamos de passagem nesta terra e onde Deus nos coloca ali temos que cumprir o ide (Mc 16:15), mas existem coisas que acontecem hoje em nesses templos físicos que se transformam em uma obrigação religiosa que impõe a nós o que Jesus nunca impôs. Hoje vamos aos cultos para não nos sentirmos culpados, pois achamos que Deus vai nos castigar, lembre-se, não podemos amar aquilo que temos medo. Já sabemos que somos o templo, mas se não formos um domingo no templo físico e nos sentirmos vazios durante a semana toda é sinal que Deus não habita em nós.
         A maioria dos líderes de hoje desenha um Deus carrasco que está à espreita, anotando todas as nossas falhas, um Deus que nos castiga. O que estão nos ensinando nestes templos está nos prejudicando e nos impede de se achegar a Deus realmente.
Não estou condenando ninguém, existem muitas pessoas que frequentaram o templo físico e que realizaram grandes obras, mas também existem pessoas que foram expulsas dos templos e Deus também as usou muito, não as obrigando a frequentar um lugar especifico, eu não vejo este mandamento na Bíblia, (leia a história da Igreja), Deus pode suscitar filhos de Abraão das pedras do mesmo modo que pode me fazer encontrar pessoas que me ajudem na minha caminhada (me ajude, não me guie), em qualquer lugar, no trabalho, em casa, na escola (Atos 3:1), mas não é uma regra ou uma obrigação, qualquer pessoa pode muito bem servir a Deus na sua casa, pregar o evangelho sem comparecer a nenhum destes lugares e vão ser salvas, se não o apóstolo Paulo esta perdido, pois apenas visitava as igrejas (nas casas das pessoas), para alertá-los sobre algumas coisas, sem nenhum tipo de compromisso com instituições, todos eles pensavam menos como uma reunião que compareciam e mais como uma família que amavam, o que pouco acontece hoje.

“NÃO DEIXANDO A NOSSA CONGREGAÇÃO” Hb 10:25

O autor explica durante todo o capítulo 10 que os Hebreus estavam voltando à lei, fazendo sacrifício pelos pecados, ele explica que Jesus já foi o último sacrifício, não se devia mais ir ao templo fazer oblações e deixar a nova aliança que está firmada em Jesus para voltar à Lei, primeiro que naquela época nem existia congregação como conhecemos hoje, isso apareceu um tempo após a Reforma Protestante (séc. XVI), congregação era a reunião dos lavados e remidos pelo sangue de Jesus, 5 pessoas em qualquer lugar da terra que estão em nome do Senhor estão congregando entre si. O apostolo não fala aqui de uma obrigação, mas sim de não sair da graça para voltar à Lei. Os primeiros cristãos não viam a igreja como instituição, mas como uma família vivendo sob a orientação do pai.

PERGUNTAS E RESPOSTAS

O “trabalho na igreja” em todos estes anos fez você chegar mais perto de Deus?
 O que acontece nesses templos hoje pode estar afetando o nosso relacionamento com Deus, pois estamos buscando desfrutar a vida de Jesus fazendo grandes obras e trabalhos, mas isso nos deixa ainda mais vazios. Nos concentramos no “trabalho para Jesus” sem sabermos quem Ele é, esta rotina gera crentes entediados e desiludidos repetindo gestos vazios de vida com o pai. Saiba que não há nada que possamos fazer para que Deus nos ame mais ou menos, a certeza do amor de Deus nos faz mudar, não a luta para tentar merecê-lo. A missão de Jesus é nos convidar a relação de pai e filho sem uma lista de regras.

Mas tudo isso não é para a OBRA DE DEUS?
Você quer se sentir útil fazendo coisas no templo então vamos entender o que é a obra de Deus. Em João 6: 27,28 e 29 os discípulos perguntaram a Jesus o que deveriam fazer para realizarem a obra de Deus, e Jesus disse: “A obra de Deus é esta: que creiais naquele que me enviou”. Esta foi à explicação de Jesus.
Em Ef 2:8-9 e Rm 11:6 é explicado que não é pelas obras que somos salvos, mas pela graça, não precisamos fazer nada para merecer o amor de Deus o seu cuidado e a salvação, pois existem algumas religiões que ajudam o próximo fazendo muitas caridades, se fosse pelas obras deles já estariam salvos. Não é nossas ações que salvam, mas sim a fé que gera em nós a vontade de realizar as obras de Deus.
Isso é confirmado em Tiago 2 :14-26, onde ele fala que “a fé sem obras é morta”, porém existe outro erro sendo ensinado. Para nós obras são: participar de um ministério, cantar , pregar, Fazer templos, fazer grandes eventos e cruzadas, etc. mas No versículo 15 o autor diz que se um irmão ou irmã estiverem nus e com falta de mantimento e algum de nós dissermos, “vai em paz, fartai-vos”, mas não dermos as coisas necessárias para o corpo, que proveito se tirará dai? Tiago explica que OBRAS é ajudar o próximo, ver a necessidade do próximo, quando a gente crê a gente pratica a verdadeira obra, não o que estão nos ensinando.

A busca pelo Primeiro Amor tem sido em vão?
Jesus é a nossa ligação direta para o pai e através dEle vamos voltar ao primeiro amor onde aprenderemos a amar a Deus, e quem ama a Deus ama seu irmão acima de qualquer instituição ou organização. As pessoas tem se esquecido do principal mandamento, alegando que estão fazendo a “obra”, 24 horas dentro destes templos onde esquecem famílias, amigos, vizinhos, por que acham que Deus habita somente lá, e o pior é que não estão prosseguindo em conhecer a Jesus fazendo estas coisas.
Você pode ser um teólogo, bem estudado das coisas da Bíblia, mas pode ter perdido o primeiro amor, isso não é tão difícil verificando que a igreja de Éfeso mesmo sendo teológica perdeu o amor inicial e sem este amor nada faz sentido, temos que nos sentir preenchidos pelo amor de Jesus como no 1° dia em que cremos, e Deus tem o desejo de compartilhar a amizade e a relação do início.

Não sentimos vontade de ler a Bíblia, nem de orar, quando fazemos é superficial, por que isso acontece?
Ouvimos uma pregação e dizemos para nós mesmos que vamos mudar, mas a empolgação rapidamente se extingue, temos fome por conhecer Jesus, porém os nossos métodos fracassam sempre, às vezes reservamos tempo para orar e ler a Bíblia e não notamos a diferença, quanto mais tentamos, mais vazios e frustrados ficamos, buscamos a sensação de ser especial. Congressos, retiros, nos mantém motivados por algum tempo, mas os compromissos da vida afogam esta motivação e voltamos a ser frustrados, por que nada mudou internamente, entenda que não é por nós, ou pelo que fazemos, Eva queria ser como Deus, e é isso que Ele quer, santos como Ele é, mas ela usou do próprio esforço para alcançar isso.
Sabemos que maioria das coisas que conseguimos na vida são frutos do nosso desempenho, cargos ministeriais, profissionais e família, essa regra não se encaixa na relação com Deus que não se baseia no que fazemos, mas no que Ele fez. Buscar uma intimidade é se entregar a ele, depender de todas as formas, ouvir sua voz, isso é uma jornada, com o tempo você não vai conseguir ficar um dia sem ter fome dEle.

A Religião pode nos prejudicar?
Com certeza, a religião pode nos afastar de Deus, nenhuma prisão é tão forte quanto à obrigação religiosa, Jesus não queria que procurássemos a Deus através de regras e da lei, imposições ou obrigações, os líderes hoje colocam em nós um sentimento de culpa e de que não estamos agradando a Deus se não participo ou faço alguma coisa nesses lugares, e nós nos convencemos disso. Acabamos a ir nestes lugares por causa da obrigação, ou do cargo, a religião fez um estrago em nós quando nos faz dependentes de líderes e faz o povo de Deus passivo no seu próprio crescimento espiritual, ficamos esperando que os outros nos mostrem como fazer e o seguimos na esperança do que seja certo e estamos ano após ano apenas seguindo a religião, não a Jesus.

Mas se eu não fizer estas coisas por obrigação e sim porque eu gosto?
Você se sente bem fazendo estas coisas e gosta de estar junto com as pessoas, mas como eu disse antes, existe um sistema montado em todas estas denominações, a partir do momento que você for percebendo a verdade do evangelho você automaticamente vai querer confrontar, vai pregar sobre isso, falar o tempo todo, vai querer resgatar para Jesus o máximo de pessoas que estão sendo tragadas pelo diabo, e vai querer também resgatar crentes que estão sendo levados pela mentira de satanás, você não vai se acomodar. O que nós temos que gostar é de falar da salvação e ajudar os outros, pois estes são os principais ensinamentos de Jesus. Saiba que não vamos receber galardão pelo que fazemos no templo, mas pelo que fazemos com o próximo.

Mesmo assim eu tenho que ir domingo para o templo, afinal este não é o dia do Senhor?
Outro erro é dizer que domingo é dia do Senhor, primeiro que não vejo isso nas escrituras, o que percebo é que a partir do momento que eu sou o templo minha vida tem que ser um culto diário ao Senhor, onde estiver, seja sábado, domingo, ou segunda, glorifico ao meu Deus com minhas atitudes, e tenho fome dEle, e não me sinto mal por não ir a um templo físico. Isso que está sendo ensinado só nos faz buscar a Deus em um determinado dia, depender de um bispo, padre ou pastor e engolir tudo o que eles dizem sem questionar, e nós ficamos ano após ano sem saber o que é depender e viver em Jesus nosso pastor.

Como funciona este sistema?
Infelizmente há um sistema montado que muitos não percebem, não vou conseguir defini-lo totalmente neste relato, mas vou colocar algumas características que o identifica, posso dizer que se não fosse Deus eu não perceberia, ele está dentro da religião evangélica, na maioria dos templos funciona assim: se não seguir todas as determinações e regras você é substituído por quem segue, e muitas vezes, quando só podemos cumprir alguns compromissos ou não ficamos tristes e frustrados. É um sistema de recompensa e punição, nas instituições o amor é aquilo que protege a pessoa e desamor àquilo que a prejudica, hoje damos o nosso carinho apenas a quem atende aos nossos interesses e negamos aos que não fazem, a diferença de opinião pode se transformar em competição pelo poder, hoje os interesses da instituição vem na frente do amor, o templo se transformou em uma mútua acomodação de necessidades individuais, cada um protege seu território, olhando nossas necessidades ficamos cegos à verdadeira obra de Deus por meio de sua Igreja. Acabamos por cobrar a Deus por tudo o que fazemos no templo achamos que Deus está nos devendo.
A institucionalização gera amizades baseadas em tarefas, você não sabe o problema do seu irmão, muitas vezes nem o ajuda, você compra sua roupa sem pensar no seu irmão que não tem nada o que vestir, ou para comer, mas você trabalha com ele todo dia no templo, e se ele conta algo ruim de sua vida você diz que vai orar, mas muitas vezes Deus quer ver de nós atitudes, sabemos que o amor só se mostra com ações não com palavras.
Muitas vezes ficamos tensos quando a reunião começa e ficamos tensos quando termina, por que vemos a vida da igreja como uma série de reuniões, e sentimos falta de maior profundidade, estamos tentando extrair dos irmãos e irmãs o que não encontramos no próprio pai, saiba que nada do que possamos fazer juntos substituirá nossa própria relação com Deus, vamos a esses lugares para assistirmos a um espetáculo, quando concebemos a igreja desta forma nós a transformamos em um ídolo.
O sistema dos templos cria padrões e motivam as pessoas a se enquadrarem neles estimulando-as a fingir que são o que não são ou agir como se soubessem mais do que sabem, as pessoas não questionam nem tem dúvidas destes princípios, por consequência o relacionamento entre elas se torna superficial e até falso, então como começam a se sentirem sozinhas e isoladas se voltam para as próprias necessidades e reclamam quando não a atendem, disputam o controle e podem até obrigar os outros a fazer o que elas consideram ser melhor. Não devemos nos tornar melhor que os outros, mas irmãos dos outros.
Para manter este sistema funcionando é preciso submeter às pessoas impondo-lhes compromissos, convencendo-as do que é melhor, por isso muitas pessoas criam falsas expectativas que frustram, pois se concentram nas necessidades ou nos talentos do seus membros e não em Cristo sempre presente.
Quando aprendermos a confiar em Jesus, não precisaremos recorrer aos outros para atender nossas necessidades, mas percebermos que somos capazes de dar nossas vidas para ajudar o próximo, quando descobrimos a força do amor de Jesus não nos restringiremos somente a nós, mas fluirá naturalmente para os fiéis e infiéis, refletiremos a vida e o caráter de Deus a todos, e quanto menos conscientes estivermos disto melhor faremos.

Temos que ser contra a instituição?
Não estou dizendo que devemos ser contra a instituição, pois existem pessoas lá que são amadas pelo Pai e que Deus vai mostrar a elas a verdade e pastores bons que acham que o modelo templo é o melhor modo de servir a Deus e servem com sinceridade e à luz da palavra, mas sim contra a obrigação religiosa, pois escravizam as pessoas, na igreja institucional sempre uns querem controlar os outros, princípios não matam nossa sede, pois nós podemos ter todos os princípios corretos e ainda assim sentir a falta de Deus em nosso grupo. O sistema sempre promete um ressarcimento futuro que nunca vêm, estes princípios mantém o foco nos cultos e transformam pessoas em expectadores, por isso não tem condições de produzir vida comunitária.
As reuniões e cultos   podem se tornar apenas simbólicas, só porque se reúnem, cantam, compartilham a leitura das escrituras, as pessoas acham que estão vivenciando a vida na igreja, isso seria verdade se estas práticas tivessem um significado mais profundo, mas na maioria das vezes trata-se apenas de rotina que faz as pessoas se sentirem bem porque estão comprometidas, mas no fundo não partilham da vida dEle.
A igreja é o povo de Deus aprendendo a compartilhar a vida em Deus, ela tem que se relacionar saber a luta uns dos outros, nenhum modelo de igreja produz a vida de Deus em nós, é o contrario nossa vida em Deus compartilhada é que se expressa como igreja.

Como as pessoas verão os meus frutos se eu não me relacionar?
Hoje as pessoas pensam que “os frutos de uma árvore” são: cantar em um ministério, pregar, arrumar um templo, mexer no som, fazer peças, participar de um coral, mas o que está escrito nas Escrituras é totalmente diferente, frutos são: amor com todos, alegria de conhecer o verdadeiro Deus, paz para impactar famílias e unir pessoas, longanimidade para não se irar facilmente com ninguém, benignidade para saber perceber a necessidade dos outros, bondade para ajudar quem necessita, para confiar e depender de Deus, mansidão para compreender as fraquezas das pessoas e ajuda-las e por último temperança, que é calma para evitar intrigas (Gal 5:22). Você percebe que todos estes frutos estão ligados às pessoas, em um relacionamento pessoal com todos aqueles que nos rodeiam, frutos não são vistos como talentos, perceba que não há nada relacionado com coisas que fazemos no templo ou no nosso ministério.
Nós temos que nos relacionar sim, essa é a principal essência do evangelho, para ajudar uns aos outros e para impactar aqueles que não crêem, as pessoas que estão desenvolvendo uma relação com o pai ficam famintas por ligações autênticas com a família de Deus, e isso não é uma obrigação é uma dádiva dEle.

E como ficam nossos líderes? Eles não são uma autoridade sobre nós?
As pessoas que tratam os líderes como se possuíssem uma unção especial são os que cometem mais risco de serem enganados por eles, quando Paulo diz em Rm 13 sobre as autoridades constituídas ele está falando de governo, estamos no Brasil portanto estamos debaixo das leis que regem nosso país, tanto que no verso 6 e 7 ele fala sobre o tributo que temos que pagar que no nosso caso é o Imposto de renda, ICMS, IPTU, entre outros, não está falando de lideranças de departamentos ou de congregações nas igrejas, primeiro que naquela época não havia estas coisas, os apóstolos viviam de um lado para o outro pregando e batizando, alguns eram responsáveis por outras pessoas que se reuniam nas casas, pregavam o evangelho, e alguns tinham o talento para ensinar e mesmo assim às vezes erravam e eram corrigidos pelos seus próprios companheiros, cada um via a si mesmo como o menor. Esse “medo” de liderança apareceu depois da “Reforma Protestante(herdado da católica onde o papa é a autoridade máxima inquestionável). Temos que questionar quando as coisas não estão certas, não tomar tudo o que um homem, que é falho como nós, fala como verdade absoluta, todos somos iguais perante Deus com a mesma importância, claro que devemos tratá-los com honra, respeito e amor, o mesmo trato que devemos ter com todos, líderes ou não. Se ele deturpa a palavra está carregando sobre si uma responsabilidade muito grande, por que está levando muita gente ao erro.

Como então vou ensinar as pessoas a caminhar com Jesus?
Ensinar sobre Deus e o significado de ser um bom cristão não são o mesmo que ensinar a caminhar com Ele, pois para se desenvolver uma relação com Jesus tem que se entrar em uma jornada para vida toda, a base disto é o amor que estimula uns aos outros sem impor padrões. Enquanto pensarmos na vida em Cristo como um conhecimento a ser adquirido, em vez de viver nEle, cometeremos todo tipo de bobagens, fazemos coisas baseadas no medo e não na confiança, pois somos ensinados assim, e eles nos ensinam assim por que foram ensinados assim também.
Não tem como você aprender o evangelho por homens (Gal 1:6-12), só Jesus Cristo pode revelá-lo para você!  Comece a pedir a Deus que Ele revele sua palavra do modo que Ele falou, o Espírito nos revelará, os nossos líderes nos condicionam a pensar na palavra de uma forma diferente do sentido original, por que aprenderam assim também, você viu provas disso nesta apostila, leia a palavra.

Será que Deus nos deixaria enganados por tanto tempo no sistema?
Hoje em dia temos que lutar contra o mundo e contra o sistema religioso diabo lançou uma estratégia, ele se infiltrou e está nos levando a ensinar outro evangelho (apostasia), não se espante, isso é Bíblico as pessoas pensam que apostasia da igreja é seitas que aparecem por aí que aceitam o pecado, sexo ilícito, usam a palavra e deturpam, isso já é claro para os fiéis que sabem que estas coisas são erradas, mas Jesus disse que se possivel fosse até os escolhidos seriam enganados, não deixe que ninguém te engane, leia você as escrituras. Deus fez com que a igreja verdadeira nos últimos dias tenha uma visão como teve João Batista, a igreja verdadeira confronta, fala a verdade põe as pessoas para pensar!
 O fato de se estar dentro do templo, ou fora, trabalhando dia e noite, se sacrificando não nos isenta de ir para o inferno, se você não conhecer a Deus está perdendo seu tempo e tudo será em vão.

O que devemos fazer?
Primeiro entender que Jesus quer habitar em nós SOMENTE ISSO, pois Ele sabe que isso nos transformará. Não devemos 1° nos afastar do pecado para depois ter uma relação com Deus, devemos ir ao encontro dEle e isso nos afastará do pecado, quanto mais confiamos nEle menos pecamos.
Temos que viver com a certeza que Deus nos ama, o fato do você não sentir que Deus está do seu lado não quer dizer que Ele não esteja, o jogo religioso nos faz dormir frustrado sempre quando Deus não faz o que esperávamos dEle.
Um dos nossos erros é ficarmos falando a palavra “devemos” em tudo, para nós e para os outros, também é não ficarmos escolhendo entre o certo e o errado, mas simplesmente viver numa realidade que já existe, as coisas certas e erradas só saberemos quando viver-mos em Jesus, Ele é a verdade, não é por que as pessoas dizem uma coisa que ela tem que ser assim.
Comece a depender de Deus, nas coisas mais simples da vida, Ele é soberano e pode agir independentemente de nós, nossas maiores confusões surgem quando tentamos fazer para Deus algo que estamos convencidos de que Ele não pode fazer por si mesmo. Quando as pessoas agem motivadas mais pelos seus temores do que pela sua confiança em Deus os resultados são desastrosos. Saiba que estando dentro ou fora destas instituições, servindo a Deus você faz parte do corpo, ele é universal, existe Corpo de Cristo espalhado por cada canto deste planeta.
A partir do momento que você resolver seguir a verdade de Cristo se o seu templo for Bíblico, você permanecerá nele, se não for ele mesma te lançará para fora.
Nesta jornada as coisas podem piorar antes de ficarem melhores, como uma cirurgia, quanto mais perto ficarmos de Deus mais longe nos sentimos dEle, mais a confiança é gerada dia após dia e o legalismo, que parece nos levar para perto de Deus, é deixado de lado.

CONCLUSÃO

         Para concluirmos quero dizer que Jesus é liberdade, se você estiver dentro de algum templo ou fora, sirva a Deus sabendo destas verdades, com certeza da salvação no coração, ame o seu próximo e leia as Escrituras, muitas vezes nós erramos por não conhecer a palavra, Jesus disse isso, não deixe ninguém guiar seu pensamento, deixe o Espírito.
         Perceba que tudo o que eu disse não é outra coisa se não a própria palavra de Deus, sou passível de erros também, mas com amor quero te mostrar o que Deus me revelou, não faça que nem os fariseus que viviam procurando os erros de Jesus para condená-lo, não atentando para verdade sendo dita.
Não deixe que nenhum lugar ponha sobre você legalismos da lei de Moisés, saiba que sua liderança é Jesus, Ele é o seu pastor, como era pastor dos apóstolos, não estamos sós Jesus é o caminho para o pai e Ele pode usar pessoas para incentivá-lo ou capacitá-lo neste processo, mas estas pessoas não permitirão que você se torne dependentes delas. Ele levanta pessoas com dons em nosso meio para nos ensinar não nos guiar, nosso guia é Jesus, há liderança melhor que essa?
         Quem tomar a decisão de sair destes templos, buscar uma intimidade maior e servir a Deus em casa tem que sentir do Senhor e ter uma intimidade muito grande com Deus, pois isso vai fazer com que você tenha vontade de ajudar os outros, cumprir o ide e se juntar com pessoas que são genuínas na fé em qualquer lugar, Deus providenciará isso, está fazendo isso comigo, mas se se você não acha que deve sair dos templos, leia a palavra e busque a Deus para não ser enganado, e confronte com a verdade do evangelho, vamos ver o que o sistema fará.
           Templos são pessoas, a casa de Deus somos nós, a igreja do Senhor são todas as pessoas espalhadas pela face da terra que servem a ele (invisível).
         Somos a Igreja de Laodicéia, igreja do fim dos tempos, Jesus está voltando se você é frio, não conhece a Deus nem quer conhecer, sua condenação está garantida, se você é quente, e tem intimidade com ele, vai entrar nas Bodas do Cordeiro, agora se você é morno, quer buscar, sabe que tem que mudar, sabe que nada do que fez te levou para perto de Deus, perde tempo todos estes anos fazendo eventos, mas sabe que não conhece a Deus eficazmente, não ama seu irmão, não ajuda, não procura entender, Deus te vomitará de Sua boca. (Apc 3:15-16), não existe meio termo ou é céu ou inferno.
Em João 4 a mulher samaritana pergunta a Jesus onde devemos adorar, no monte Gerezim ou no templo em Jerusalém? E Jesus responde: “QUE NEM NO MONTE NEM EM JERUSALÉM ADORAREIS, MAS A HORA VEM E AGORA É EM QUE OS VERDADEIROS ADORADORES ADORARÃO AO PAI EM ESPÍRITO E EM VERDADE, POR QUEO PAI PROCURA A TAIS QUE ASSIM O ADOREM, POR QUE ELE É ESPÍRITO E IMPORTA QUE OS QUE O ADORAM O ADOREM EM ESPÍRITO E EM VERDADE.”
__________________________________________________________________


Obrigada!
Deus te abençoe
Letícia Romero

Bibliografia
·        Bíblia de Estudo Pentecostal – CPAD , ed 1995.
·        Bíblia da Mulher - Sociedade Bíblica do Brasil Ed. 2008.
·        JACOBSEN, Wayne e Dave Coleman – Por que você não quer mais ir à Igreja? 1953, Rio de Janeiro: Sextante, 2009.