DÍZIMO


PARA RECEBER ESSA APOSTILA EM PDF ENVIE UM EMAIL PARA:  questioneedescubra@gmail.com


DÍZIMO - DAR OU NÃO DAR?
Análise de todos os versículos que falam sobre o tema no velho e novo testamento.
      

Por Letícia Romero

        INTRODUÇÃO
Primeiramente quero informá-lo de que todo conteúdo destes estudos são opiniões e conclusões minhas a fim de alertá-los sobre algumas questões muito interessantes. Peço para que você ao ler minhas colocações tenha sempre em mãos as Escrituras Sagradas, e peça ao Espírito Santo para que tire todas as dúvidas do seu coração e confirme a verdade.
Posso garantir que o conteúdo destas apostilas NÃO É VENTO DE DOUTRINA, nem outro evangelho, mas sim o evangelho que sempre existiu, e foi menosprezado ao longo dos séculos.
Enfatizo que não sou dona da verdade, mas com amor quero te fazer conhecer aquilo que Deus tem colocado em meu coração para despertamento, desde já agradeço.
Deus te abençoe!


ESTE ESTUDO DEMOROU 6 MESES PARA FICAR PRONTO, FOI MUITO DIFÍCIL PARA MIM ACEITAR O QUE ESTOU ESCREVENDO HOJE, COM TANTA CERTEZA, MAS AGRADEÇO A DEUS POR TER ME TIRADO DE MAIS UM LEGALISMO.


APOSTILA 2 


O DÍZIMO PARA NÓS
            Em nossos dias, para quem frequenta um templo, existe uma “ordenança” de se dar o dízimo, ele representa o desprendimento que temos ao dinheiro, onde entregamos 10% de nossa renda mensal ao templo para manutenção, pagar luz, água, comprar ar condicionado, ventiladores, fazer mais templos, etc.
         Somos ensinados desde cedo que temos que “dar a Deus o que é de Deus” (Mt 22:15), com certeza temos que fazer isso, mas o que é de Deus? O dinheiro? Neste capítulo Jesus fala sobre pagar tributo a quem está regendo as leis, que na época eram os Romanos, tanto que Ele diz “de quem é esta gravura e esta inscrição?” (v20) e eles responderam que eram de César, então respondeu “dê a ele o que é dele e a Deus o que é de Deus”, é adoração, respeito, amor, e almas para o seu reino, infelizmente não é isso que nos ensinam.
         Também concebemos o dízimo como uma ordenança, onde se não dermos o devorador pode tomar tudo que temos, ou seja se você não der 10%, o diabo come os seus 90%. Aprendemos também que temos que ser fiéis ao dízimo e que quando damos, estamos “plantando em terra fértil”.
         Tenho certeza que uma destas coisas você já falou ou ouviu no templo onde frequenta.
 Vou tentar explicar claramente cada capítulo e versículo de acordo com o meu entendimento, os mais importantes que falam sobre o dízimo e peço a você que estude, leia, releia e peça a Deus para que te revele a verdade.

CITAÇÕES DO DÍZIMO ANTES DA LEI

         Creio que além de ser a primeira citação sobre o dízimo esta seja a mais importante, depois vocês irão entender. Estou falando de Gênesis 14:18-24, entendemos neste capítulo que Abrão, logo depois da guerra que participou, encontrou Melquisedeque que rei de Salém, sacerdote do Senhor, e quis dar o dízimo de todos os DESPOJOS da batalha que ganhou, Melquisedeque aceitou o presente e o abençoou, este rei só foi citado esta vez na Bíblia não aparecendo mais, algumas pessoas “conjecturam” que era Jesus, entenderemos isso mais a frente, o que temos que observar nesta passagem é que Abrão deu o dízimo de livre e espontânea vontade a um homem, sendo que este dízimo eram bens materiais e fez isso agradecendo pela vitória que teve na guerra.
         Em Gênesis 28:20-22, Fala de um voto que Jacó fez ao Senhor de dar o dízimo de tudo o que ganhasse SE fosse abençoado, percebe-se que nesta época não havia ordenanças, Jacó fez um VOTO, se ele não fosse abençoado em seu caminho certamente não daria o dízimo, mas Deus foi fiel, como ainda é, e cumpriu sua parte neste voto, porém o dízimo Jacó não era um monte de moedas que ele levantava ao céu, seu dízimo era sacrifícios de animais, (que representa a morte de Jesus na cruz), do mesmo modo que fez Abel. Nos dois casos o dízimo foi voluntário e feito uma vez.

DÍZIMO NA LEI DE MOISÉS

Levítico 27
         Iniciaremos por este capítulo, Deus começa a dar todas as ordenanças da LEI DE MOISÉS, que todo povo de ISRAEL teriam que cumprir. Pegue sua Bíblia e verifique se essas conclusões estão de acordo com as escrituras.
(v30) – Todos os dízimos do campo, semente e frutos são do Senhor.
(v31) – Mas se alguém tirar algo do dízimo, (que é 10% da colheita) acrescentará 5 vezes o valor tirado. Ou seja, se você tirasse 1quilo (exemplo), de uma semente depois você teria que acrescentar 5 quilos da mesma.
(v32) – Os dízimos das vacas e ovelhas, serão santos ao Senhor.
(v33) – Não trocarão animal bom pelo animal ruim, mas se trocar, os dois serão santos ao Senhor e não poderão ser tomados de volta.
(v34) – Estes são os mandamentos que Deus ordenou para os filhos de ISRAEL no monte Sinai.
         Expliquei com minhas palavras o que Deus falou a Moisés para o povo de Israel, sabemos que os gentios não eram bem vindos nesta época, todos os povos que os rodeavam não cumpriam estas determinações. O que ele fala é sobre o sacrifício pelos pecados, que existia no velho testamento, onde você dava o dízimo da colheita e o melhor de seu gado ou rebanho para sacrificá-los a Deus, isso era uma ordenança para o povo de Israel. Tendo até juros para quem não a cumprisse totalmente. Tudo isso era sombra das coisas futuras, o ÚLTIMO sacrifício foi Jesus.

        

Números 18
Nesta passagem Moisés fala sobre o sacerdócio dos levitas, sabemos que esta é uma tribo separada para trabalhar no templo dia e noite, não tinha herança na terra como os seus irmãos, que plantavam, tinham gado, então Deus providenciou um modo de eles serem sustentados, cada pessoa de cada tribo daria 10% de toda sua colheita e pecuária e dar aos levitas para o SUSTENTO deles (v31).
         Vemos também que no verso 28, os levitas tiravam ofertas alçadas do dízimo, para oferecerem ao Senhor, sabemos que ambas não eram dinheiro, mesmo nesta época já existindo a moeda (Gên 37:28). Deus dá honra a esta tribo, pois eles que iriam viver para servir o povo nas oblações e sacrifícios.

         Deuteronômio 12
         Deus escolhe um lugar, um tabernáculo, para Ele estar e para o povo levar seus sacrifícios, o povo tinha que ir aquele lugar para servir a Deus.
(v6) – O povo levaria os dízimos e as ofertas alçadas dos primogênitos dos animais.
(v7) – “E ali COMEREIS e vos alegrareis perante o Senhor” (Isso prova que o dízimo não era dinheiro), e Deus abençoaria o povo em tudo que colocasse a mão.
(v11) – Deus diz que escolherá um lugar para habitar o seu nome para ali o povo levar aos holocaustos, sacrifícios, dízimos e ofertas alçadas.
(v17) – Deus diz ao povo para não COMER os dízimos, votos e ofertas em suas portas.
(v18) – Mas COMERÁS perante o Senhor no lugar que Deus escolher, COMERÁS, você, teu filho, filha, servo, serva e o levita e te alegrarás.
(v19) – Deus lembra que não devemos desamparar o levita, pois não tinham herança na terra.
         Pelo que observamos os dízimos eram para ser comidos, no tabernáculo dividindo-os com os Levitas, as pessoas poderiam fazer o sacrifícios, derramar o sangue e comer da carne com toda sua família. No versículo 21 Deus fala que se alguém estiver longe do lugar escolhido por Deus (o tabernáculo), poderia fazer o mesmo procedimento de sacrificar e comer, dentro das suas casas.
        
         Deuteronômio 14: 22 – 29
(v22-23) – Na tenda do tabernáculo o povo levaria os dízimos perante o Senhor e COMERIAM (novamente se fala em comer os dízimos).
(v24-25) – Se o caminho fosse comprido ou longe de uma tribo para o tabernáculo o povo poderia VENDER O DÍZIMO e trocá-los por dinheiro (moedas), e comprar tudo o que DESEJASSE O SEU CORAÇÃO e se alegrar com sua família.
(v27) – Mas era para tomarem cuidado para não se esquecer do levita, pois não tinham herança.
(v28) – Por isso Deus também achou outra solução para aqueles que estavam longe do tabernáculo, ajudarem no sustento, fez com que de 3 em 3 anos o povo tirasse as primícias para que o levita, a viúva, estrangeiro e órfão COMAM para que Deus os abençoe.
         Observamos que na Lei de Moisés poderia se vender o dízimo, se você morasse muito longe da casa do Senhor, e comprar o que você desejasse e se alegrar com sua família, percebemos também que o dízimo não era apenas para os levitas, mas também para a viúva o estrangeiro e o órfão, pessoas que necessitavam da ajuda do dízimo.
         O dízimo na lei de Moisés servia para suprir as necessidades:
Do Levita – que não tinham herança na terra e viviam para servir ao Senhor no templo, comiam das sementes e das carnes para seu sustento.
Do órfão – Como não tinha ninguém por eles, o povo tinha que ajuda-los também no seu alimento diário.
Da viúva – Se não casasse com o irmão de seu marido falecido, o povo também tinha que dar uma parte dos 10% para ela.
Do estrangeiro – Também não tinham herança na terra e necessitavam de ajuda para sobreviverem.
         Vamos ver outra passagem no mesmo livro que enfatiza que o dízimo era para o sustento de pessoas.
        
Deuteronômio 26
(v1-2) – Pegarás todas as primícias da terra e porás num cesto e irás ao lugar onde Deus escolher.
(v3-4) – Então virá o sacerdote e tomarás o cesto e porá no altar do Senhor.
(v9) – E o povo agradecerá por ter sido tirado do Egito.
(v10-11) – Porás estas primícias diante do Senhor e te alegrarás por todo o bem que Deus tem feito a você, a sua casa, ao levita e ao estrangeiro.
(v12) – Quando acabar os 3 anos DARÁS o dízimo ao levita, órfão, estrangeiro e viúva, para que COMAM E SE FARTEM.    
(v13) – Então falarás à Deus que você tirou tudo o que é consagrado e deu o dízimo ao órfão, o estrangeiro e è viúva, conforme todos os mandamentos.
(v14) – Também dirás a Deus que você não COMEU o dízimo na sua tristeza e nem para a imundícia, nem deu para alguém morto.
(v15) – Por isso peça para que Deus desça e abençoe o povo de Israel.
         Nestes versículos se falam algumas ordenanças para Israel, eles tinham que cumprir obrigatoriamente para requerer as bênçãos do Senhor, sabemos também que essas ordenanças eram somente para este povo.
         Estes são capítulos muito importantes onde foi implantado o dízimo para Israel com o intuito de AJUDAR PESSOAS e fazendo-se isso eles eram abençoados e prósperos.
        

DÍZIMO DEPOIS DA MORTE DE MOISÉS

         Moisés morreu, mas sua lei permaneceu em todo o antigo testamento, tendo os mesmos mandamentos e as mesmas punições. Vamos verificar agora algumas citações do dízimo após a morte de Moisés.

         2 Reis 12
Joás reinou e foi correto aos olhos do Senhor, porém nunca tirou os altares do meio do povo de Israel, então disse aos sacerdotes (da casa de Deus):
(v4-5) – Todo o dinheiro das coisas santas que o povo trouxer a casa do Senhor e todo dinheiro voluntário (NÃO ERA DÍZIMO). Os sacerdotes tinham que receber e dar para as pessoas que saibam consertar todas as fendas que existem no templo, (Nesta época já existia o templo que foi edificado por Salomão).
(v6) – Porém no ano 23 deste mesmo mês os sacerdotes não tinham feito o que o rei mandou e não tinham reparado as fendas.
(v7-8) – Então o rei Joás chamou denovo os sacerdotes e disse para não tomarem mais o dinheiro do povo nem para repararem mais as fendas da casa.
(v9) – Porém o sacerdote tomou uma arca e faz um buraco nela e pôs ao pé do altar na mão direita dos que entravam na casa do Senhor e os sacerdotes que estavam na entrada da porta e colocavam ali todo o dinheiro que se trazia à casa do senhor.
(v10) – Eles viram que já havia muito dinheiro na arca, então o escrivão do rei e o sumo sacerdote, contaram e ensacavam o dinheiro.
(v11-12) Depois que pesavam o dinheiro, deram nas mãos dos carpinteiros e edificadores que faziam a obra de reparar as fendas da casa.
(v13) – Mas este dinheiro não era usado para se fazer taças de prata, garfos, bacias, trombetas nem vaso de ouro ou prata.
(v14) – Por que somente davam aqueles que estavam reparando a casa do Senhor.
(v15) – Também os sacerdotes não pediam contas do que os trabalhadores faziam com aquele dinheiro, pois eles eram fiéis.
(v16) – Mas o dinheiro pelo sacrifício de pecados não se trazia à casa do Senhor, mas eram para os sacerdotes.
         O que acabamos de ler foi um fato ocorrido no reinado de Joás, ele queria reparar o tabernáculo que ERA A CASA DE DEUS, depois da primeira tentativa o sacerdote Joiada tomou a frente e conseguiu juntar dinheiro para este propósito, eles conseguiram reparar a casa.
Percebemos que as ofertas pelos pecados (sacrifícios, dízimo, primícias), eram para ser dados para os sacerdotes para o sustento dos mesmos, não para o conserto da casa do Senhor.
Neste capítulo não se fala de dízimo, mas sim de ofertas voluntárias, o dízimo não podia ser revertido para outra coisa se não para o sustento dos levitas e dos demais que necessitavam (v 16).

2 Crônicas 31
Depois do reinado de Acaz, que não fez o que era reto aos olhos do Senhor colocando adoração a outros deuses e quase eliminou a forma de culto como foi estipulado por Moisés, entrou outro rei chamado Ezequias que reestabeleceu o culto a Deus, então ele teria que regular novamente os levitas os sacerdotes e relembrar ao povo a lei de Moisés.
(v4) – O rei ordena ao povo para que dessem a parte dos sacerdotes e dos levitas, para que os mesmos se dedicassem a lei do Senhor.
(v5) – Depois disto trouxeram muitas primícias e o dízimo do trigo, mosto, azeite, mel e toda a novidade do campo, e trouxeram em abundância.
(v10) – E o povo deu tanto, que eles se fartaram e ainda sobrou em abundância.
(v11) – Então fizeram câmaras para guardar o dízimo e as ofertas.
(v21) – E Ezequias foi abençoado pois reestabeleceu toda a obra no serviço da casa de Deus e na lei e nos mandamentos.
         A maioria dos cristãos conhecem sobre o reinado do rei Acaz que fez tudo o que era ruim aos olhos do Senhor casando-se com Jezabel, que matou a maioria dos profetas, quando seu reinado acabou (tragicamente), entrou outro rei que relembrou ao povo toda a lei de Moisés e para, eles não se esquecerem de levar o dízimo aos sacerdotes e levitas que voltariam a trabalhar no templo, e precisavam ser sustentados.

DÍZIMO PÓS-EXÍLICO
        
Neemias 10
O povo de Israel foi cativo à Babilônia, mas Neemias sente no seu coração de voltar à sua terra e edificar os muros, depois de muitas dificuldades e privações ele consegue reconstruir os muros e o templo. E no capítulo 8 Esdras lê a LEI DE MOISÉS diante do povo, para relembra-los, pois estavam muitos anos no cativeiro e já tinham esquecido alguns dos estatutos e preceitos desta lei.
No capítulo 10:
(v37) – É lembrado que o povo teria que trazer as primícias da terra ao templo, para os levitas (como antes), e os levitas pagariam o dízimo dos dízimos (como antes).
(v39) – Para não desamparar quem trabalha no templo (pois não tinham herança).
         A única coisa que Neemias fez aqui foi relembrar o que tinha sido dito antes por Moisés, o mesmo que fez Ezequias, para Neemias foi mais trabalhoso, mas ele conseguiu e fez certo, por que nisto está baseado todo o antigo testamento, na lei de Moisés.

         Neemias 12
         Como tudo tinha que ser restaurado e relembrado ao povo após o cativeiro, nestes versículos ele lembra sobre o ministério no templo:
(v44) – Nomearam homens para os tesouros, ofertas alçadas e dízimos para ajuntarem pela terra e levar aos sacerdotes e levitas.
(v47) – Mesmo sem templo Israel santificava a porção dos cantores, porteiros e levitas.
         Israel sempre conheceu a lei, e a obedecia, pois fora feita para eles mesmos, mas Deus sempre enviava alguém para reforçar esta lei, para não cair no esquecimento, Israel tinha que ser diferente de todos os outros povos.
         Neemias foi escrito no momento após o cativeiro Babilônico. Vamos ver outros livros que foram escritos na mesma época e que também relembram o povo de preceitos da lei incluindo o dízimo.

         AGEU
         Este foi um profeta pós-exílico, que viveu na época de Esdras e Neemias, profetizou antes da construção do segundo templo, e também foi usado para relembrar o povo a lei, o objetivo deste livro segundo a Bíblia de Estudo Pentecostal (1998) é, “dentre tantos, motivar o povo a reordenar suas vidas e prioridade para que a obra da casa de Deus fosse recomeçada com as bênçãos divinas”.

Capítulo 1
(v3-4) – O Senhor através do profeta disse: Este é o tempo de vocês viverem em casas luxuosas enquanto minha casa (templo) continua destruída?
Deus estava “indignado” e não abençoava o povo pois não se importavam em reconstruir o templo.

Capítulo 2
Deus encoraja Zorobabel e Josué no trabalho de reconstrução e recorda a aliança que fez com o povo quando saiu do Egito (v5).
O templo era a casa de Deus e Ele se importava que ela fosse reconstruída novamente.
Não se relembra neste livro sobre o dízimo, por que este certamente não era seu objetivo, mas Deus providenciou outro profeta que na mesma época relembrou ao povo alguns preceitos, inclusive o dízimo.

MALAQUIAS
Profeta contemporâneo de Neemias e Esdras, profetizou no Israel pós-exílico, um pouco após Ageu pois o templo já tinha sido edificado novamente.

Capítulo 1
(v1-6) – É explicado que só Jacó/ Israel era herdeiro da promessa não Esaú. O povo estava desanimado (v2), pois não estavam guardando a lei por completo. Tanto que os sacerdotes ofereciam animais imundos, coxos e cegos, (v7). E isso não era bom aos olhos de Senhor.

Capítulo 2
(v1-2) - Exortação para os sacerdotes se consertarem, se não haveria juízo contra eles.
(v3-9) – Relembra o concerto que fez com Levi (levitas) e os repreende por não estar guardando os caminhos do Senhor.
(v10) – Deus diz para eles não profanarem o concerto que Ele fez com os patriarcas.
(v11-12) – Deus fala do povo de Judá que casaram-se com mulheres estranhas que adoravam outros deuses.
(v13) – E ainda vão ao altar do Senhor chorar e gemer, mesmo assim Deus não aceitará a oferta da mão deles.
(v 14) – E Deus não ouvirá os gemidos e choros, pois os homens estavam sendo desleais com suas mulheres do concerto, pois as repudiavam.
Capítulo 3
(v1-6) – Profecia sobre Jesus e a renovação de Israel.
(v7) – Deus diz para Israel tornar a Ele, mas em que eles haveriam de tornar?
(v8) – O povo roubava a Deus nos dízimos e nas ofertas alçadas. (por que já não davam regularmente de acordo com o mandamento para o sustento dos levitas há muito tempo desde o cativeiro).
(v9) – Todos são amaldiçoados, pois roubam ao Senhor, (Como era uma lei ela tinha que ser cumprida e quem não a cumprisse estaria afrontando ao próprio Deus).
(v10) – Deus diz para que eles trouxessem todos os dízimos para a casa do tesouro (templo), para que haja mantimento em sua casa. (mantimento é aquilo que mantém, provisão, sustento, comida, dispêndio, gênero alimentício), “para os levitas” e depois fazer prova dEle, e terão bênçãos em abundância, (como antes, Deuteronômio 26:15).
(v11) – E por causa de vós repreenderei o devorador.
Devorador aqui é uma referência a gafanhotos que comiam todo fruto da terra. (devorador nunca foi e não é um demônio).
Vamos verificar Amós 4:9, nesta época o povo estava PRÓSPERO, mas tinham idolatria, imoralidade e injustiça no meio deles, “Muitas vezes castiguei seus jardins e vinhas com pragas, ferrugem e gafanhotos que devoraram as figueiras e as oliveiras e mesmo assim vocês (Israel) não se voltaram para mim”, o devorador não fez muito efeito para Israel, pois não se consertavam.
Hoje nossos líderes falam de um demônio devorador que come nosso dinheiro, não vejo referência deste demônio no novo testamento (após a morte de Jesus), o que eu sei é que o nome de Jesus expulsa QUALQUER demônio. Como o povo deveria obedecer à lei de Moisés, Malaquias tinha o dever de relembrá-los de trazer o dízimo para o sustento dos levitas, Deus reforçou as bênçãos e disse que suas plantações seriam protegidas, pois estavam cumprindo o que Ele ordenou.
(v12) – Deus também diz que se eles obedecerem todas as nações os chamaria de bem aventurados, pois seriam uma terra deleitosa.
Os próximos versículos falam do caráter de Deus com os que o servem.

Capítulo 4
(v1-2) – Fala da vinda de Cristo.
(v4) – “LEMBRAI-VOS DA LEI DE MOISÉS a qual lhe mandei em Horebe para todo o Israel o qual são estatutos e juízos”. Isso prova que Malaquias só estava lembrando o que tinha sido dito lá no início, nada mudou.


Muitas pessoas usam Malaquias para falar do dízimo, se é para cumprir  a lei então vamos fazer certo, vamos dar o dízimo aos levitas, (não caia no erro de pensar que cantores do seu templo são levitas, isso é invenção do homem, levitas era uma tribo escolhida para servir dia e noite na casa do Senhor), mas você conhece algum descendente de Levi aqui no Brasil? Creio que não, então vamos dar para as viúvas, órfãos e estrangeiros, pois é isso que eles faziam.
Se o seu líder fala que você tem que dar o dízimo, e você quer dar, então faça da maneira que Deus ensinou, sabendo que se não cumprir da forma que foi escrito você se torna maldito Maldito aquele que perverter o direito do estrangeiro, do órfão e da viúva!(Dt 27:19).
Mas o pior é que hoje em relação ao dízimo dizemos que é obrigação, impomos esta lei de Moisés nas pessoas, e não a cumprimos na íntegra do modo que Deus ordenou à Israel. Porém a questão aqui é mostrar para vocês que Jesus ABOLIU o dízimo.



TIRANDO DÚVIDAS
         Estudamos sobre o dízimo no velho testamento, você entendeu que ele tinha o propósito de ajudar as pessoas, isso engloba amor e desprendimento às coisas materiais. Hoje é ensinado que você tem que ajudar na “obra de Deus” (explico mais sobre a obra de Deus na apostila 1 – A VERDADE SOBRE A IGREJA, vou colocar como tópico final desta apostila), comprar ar condicionado, fazer mais templos, colocar cadeiras acolchoadas para o conforto do povo.  O dízimo no velho testamento não podia ser revertido para obras no templo, mas somente para sustento de pessoas, hoje alguém é sustentado pelo dízimo? Ou tem irmãos no templo que vivem na dificuldade, pegam empréstimos, não tem o que comer em casa para dar seu dízimo, pois tem MEDO de que Deus possa liberar o “devorador” na vida deles. Esses irmãos que passam necessidades deveriam ser sustentados pelo dízimo (se fosse para cumprir hoje).
         Não entre em uma questão de que um dia você viu alguém dar o seu dinheiro para o templo e Deus abençoou, ou você mesmo dá o dízimo, e no mês que você parou de dar nada rendeu na sua casa, se você relaciona provações com o dízimo está muito bem treinada pelo falso mestre que segue, já virou algo psicológico! Só pode ser, por que de acordo com as Escrituras o dízimo foi ABOLIDO, o novo testamento aboliu o dízimo, já vimos que mesmo se ele não fosse abolido estaríamos cumprindo ele de forma errada hoje.

FINAL DO VELHO TESTAMENTO
         Jesus conhecia a lei de Moisés, mas mesmo assim não há uma passagem que ele manda os discípulos ou o povo levar o dízimo ao templo, o que Deus sempre relembrava com os profetas. Jesus sabia que aquele não era mais o plano de Deus, Ele queria incluir os gentios na promessa de salvação também (por que antes só era para Israel). Elaborou um plano ainda melhor, não por que o primeiro fracassou, (por que Deus não fracassa), mas por que Deus quis provar ao homem que ele se sacrificaria para nos livrar do pecado, o que a lei não conseguia.
Jesus viveu no final do velho testamento (lei de Moisés), abolindo esta lei após sua morte onde começa o novo testamento, vamos analisar algumas passagens que Jesus fala sobre dízimo ou sobre novos mandamentos, ainda no velho testamento:

Mateus 6
(v1-4) Jesus não manda dar dízimo, mas sim dar esmolas aos que necessitam, sem fazer alarde.
O que eu entendo é que como o dízimo era para o SUSTENTO, e que depois da sua morte não precisaríamos mais sustentar levitas, pois o evangelho é mundial e não de templos, então Jesus disse que nós teríamos que ajudar a TODOS os que necessitassem, é muito mais abrangente.
Para quem acredita na teoria da prosperidade é bom ler com mais atenção os versículos 19 a 34, deste mesmo capítulo, não é isso que temos praticado em meio aos ensinamentos atuais.  As pessoas relacionam que aquele que não pode dar o dízimo, ou deixa de dar o dízimo no templo para ajudar alguém, é uma pessoa que ama ao dinheiro, para mim quem serve ao dinheiro é aquele que faz dele uma arma de manipulação.
Manipulam a Deus para conseguir as bênçãos, fazem campanhas ou jogam no pastor a responsabilidade de ajudar, alegando que dá o seu dinheiro na igreja e não liga para o que o pastor faz, se ele pega, se ele compra coisas novas para o templo, se ele dá para as missões. A responsabilidade de cada um ajudar fica nas mãos do líder. Para quem entendeu o que é obra de Deus sabe que não é nada do que fazemos dentro dos templos, mas cada um receberá seu galardão pela ajuda que deram as pessoas:
Mateus 25:31-46
“(...) VINDE BENDITOS DO MEU PAI, POSSUI POR HERANÇA O REINO QUE VOS ESTÁ PREPARADO DESDE A FUNDAÇÃO DO MUNDO, POR QUE TIVE FOME E ME DESTES DE COMER, TIVE SEDE E DESTE-ME DE BEBER, ERA ESTRANGEIRO E HOSPEDASTE-ME, ESTAVA NU E VESTISTE-ME, ADOECI E VISITASTES-ME, ESTAVA NA PRISÃO E FOSTES VER-ME. Então perguntarão, quando do fizemos estas coisas? E O REI DIRÁ: EM VERDADE VOS DIGO QUE QUANDO FIZERES A UM DESTES MEUS PEQUENINOS IRMÃOS A MIM O FIZESTES (...)”.
Preciso falar mais alguma coisa?
O novo testamento não promete luxo, conforto e riquezas. Jesus sofreu nesta vida, e assim seus seguidores sofrerão (Mc 10:29-30; Lc 9:57-62). A preocupação com a prosperidade material nas distrai da meta celestial e nos arrasta a idolatria e a cobiça (Col 3:1-5). Tais pensamentos de prosperidade não estão entre os que não são desta terra e esperam um reino celestial.

Agora vamos abordar a tão polêmica passagem que Jesus fala sobre o dízimo.
Mateus 23:23
- “Ai de vós escribas e fariseus, hipócritas, pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da LEI, o juízo a misericórdia e a fé, deveis, porém fazer estas coisas e não omitir aquelas.”

Jesus viveu durante a LEI DE MOISÉS (Gal 4:4), começando o novo testamento após sua morte, Jesus era um judeu, Ele reconheceu a Lei de Moisés e por nascer sob ela sabia da responsabilidade de cumpri-la, sabia que Deus tinha outro plano para humanidade, mas também se revoltava com aqueles que Deus um dia escolheu para O servir, (levitas, escribas, fariseus e sacerdotes), pois não cumpriam a lei de Moisés na íntegra, desvirtuando todos os mandamentos que eram santos, justos e bons ( Rm 7:12).
Por este fato Jesus diz para os HIPÓCRITAS escribas e fariseus:
“Deveis fazer estas coisas” (dar o dízimo)
“E não omitir aquelas” (juízo, misericórdia e fé)
Jesus disse para os fariseus continuarem dando o dízimo, (por que estava na lei de Moisés), mas existiam coisas MAIS IMPORTANTES, para serem feitas que eram o juízo, misericórdia e fé, (tudo relacionado as pessoas).
Daí você entende por que Jesus se revoltou com os cambistas no templo (Mt 21:12-13), ali ainda era a casa de Deus e os judeus estavam fazendo desta casa uma feira, mas depois vemos que Jesus fala que destruiria o templo e o reconstruiria em 3 dias, o templo passou a ser nós depois de sua morte (Jo 2:19).
Entenda, Jesus estava sob a Lei, mesmo que na nossa Bíblia esteja escrito “Novo Testamento” na frente de Mateus, Marcos, Lucas e João, TODA A TRAJETORIA DE JESUS AINDA É VELHO TESTAMENTO, iniciando a Graça APÓS sua morte, então o novo testamento ou nova aliança se inicia depois de sua morte.

Mateus 5: 17-20
(v 17-18) – “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas, não vim ab-rogar, mas cumprir. Por que em verdade vos digo que até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til, se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido”.
Já sabemos que Jesus seguiu a lei sendo o único que conseguiu cumprir, tudo o que Deus disse a Moisés era para ser seguido, Jesus não podia se dividir contra a lei dada pelo seu próprio Pai, antes do CUMPRIMENTO. “Nada se omitirá da lei antes que tudo seja cumprido” Jesus já cumpriu a lei com a sua vida e morreu por nós para nos libertar da maldição desta lei (Gal 3:13).
Alguns cumprimentos da Lei na vida de Jesus:
- Foi circuncidado e apresentado ao sacerdote. (Lc 2:21-24)
- Assumiu o sacerdócio aos 30 anos. (Num 43-47)/ (Lucas 3:23)
- Curou um leproso e depois mandou apresentar ao sacerdote uma oferta. (Lev 14)/ (Mt 8:4)

(v 20- 48) – “Por que vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus de modo nenhum entrareis no reino dos céus (...)”
Hoje é muito mais abrangente quem CONHECE A JESUS sabe que não deve falar mal de seu irmão, pois será igualado a homicídio, olhar uma mulher e desejar é adultério, se levarem alguma oferta ao altar (sacrifício dos pecados que eram levados no altar do templo), e perceberem que não estão bem com seu irmão, deixará sua oferta e irá primeiro se reconciliar ( o mais importante para Jesus não é a oferta, mesmo se dada aos necessitados ou para ajudar alguém que efetivamente está fazendo a obra de Deus, mas era o RELACIONAMENTO pessoal com Ele, o amor que temos que ter uns para com os outros, sem isso nada faz sentido).
Existem algumas partes que “parecem” que não estão sendo lidas pelas pessoas ultimamente, um exemplo disso são os versículos 38 a 48 deste mesmo capítulo. Em meio a tantos hinos e pregações pedindo exaltação, destruição dos inimigos, honra diante dos que nos perseguem, fracasso daqueles que nos maldizem e querem nosso mal. Dá impressão que Jesus não foi claro quando disse que: “se alguém te bater na face direita oferece a outra, se te pedirem o vestido da também a capa, caminhe duas milhas com quem te obriga a caminhar uma, dá a quem te pedir (...), amai vossos inimigos, bendizei o que vos maldizem, fazei bem ao que vos odeiam, orai pelos que te maltratam e te perseguem, para que sejais FILHOS DO VOSSO PAI”.
Não há conjecturas nesta passagem, ou é ou não é. O amor é a nova lei, sem ele não adianta ficar fazendo grandes eventos, cantando, pregando, evangelizando, se não tem amor com as pessoas que estão próximas, se você não ama as pessoas que vê, não pode amar a Deus que não vê.
Já vimos que se nossa Justiça não exceder a lei não entraremos no reino dos céus, esta justiça vem da Graça de Deus através da morte de Jesus, a justiça não provém da lei. Por isso fez se necessária a morte de Jesus. Paulo fala em Gal 2:21 “Não aniquilo a graça de Deus, por que se a justiça provem da lei, segue-se que Cristo morreu em vão” Jesus não morreu em vão, por que Ele é a nossa justiça.

Lucas 18:9-14 – O fariseu e o publicano
Creio que você conhece a passagem do fariseu e do publicano. O fariseu era religioso, entendido das escrituras e dizimista fiel, mesmo assim desprezou o publicano, Você pode ser o que for e pode saber de muitas coisas da Bíblia, dar todo seu dinheiro ao templo, mas se desprezar os outros Deus vai te humilhar. Por que o mais importante é o amor ao próximo, de onde vem a misericórdia.

Lucas 21: 1- 4 – Oferta da viúva pobre
Jesus estava vendo as ofertas que eram trazidas para a arca na casa do Senhor, ofertas que poderiam ser para um reparo na casa de Deus, ou para o sustento dos que serviam no templo (os levitas recebiam ofertas e o dízimo). Jesus viu que a viúva, junto com as pessoas ricas, estavam dando as ofertas, por que era um mandamento de Deus (LEI DE MOISÉS), e percebeu que ela deu todo seu sustento para ajudar os outros, o amor dela era tão grande que ela não se importava de ficar sem nada, mas sim em ajudar e cumprir o que Deus mandara. O desprendimento da viúva era em obedecer e acreditar que ajudando os outros seria abençoada, como Deus sempre prometeu em todo velho testamento (o que já analisamos).

Todos os mandamentos, parábolas e ensinamentos que Jesus dava NÃO TINHAM VALOR DURANTE SUA VIDA, por que ainda existia a lei de Moisés e ela não tinha sido cumprida. Quando uma acaba a outra começa, os ensinamentos de Jesus só poderiam ser cumpridos após a sua morte, isso é comprovado em Hebreus 9:16-28, “ O testamento não tem valor enquanto o testador vive, por isso faz-se necessário a morte do testador para que se cumpra seu testamento.”
Jesus morreu, começou a Graça, o novo testamento, nova aliança, todos os seus mandamentos agora entram em vigor, acabando todo o anterior. Jesus não ensinou que a lei do dízimo, que faz parte da lei de Moisés, seria um tópico da sua nova aliança.

ABOLIÇÃO DA LEI – Novo Testamento
Depois da morte de Jesus começa o novo testamento e por consequência todos os seus ensinamentos. Vimos na primeira apostila a diferença da Lei para a Graça e todas as passagens que falam da abolição da lei, vou repetir algumas:
Hb 7:12 – Muda o Sacerdote muda a lei
(Lei) sacerdote Moisés - (Graça) sacerdote Jesus
Hb 7:18 – Fraqueza e inutilidade da Lei
Gal 3:13 – Maldição da Lei
Gal 2:18 – Paulo fala que quem torna a edificar a lei se tornará transgressor.
Gal 2:21 – Se a justiça é mediante a Lei Cristo morreu em VÃO.
Hb 7:28 – A lei tinha sumos sacerdotes fracos, mas a Graça um filho perfeito, Jesus.
         Hoje estamos “cumprindo” um tópico da lei de Moisés que é o dízimo, não cumprimos certo por que de acordo com as escrituras o dízimo era para o sustento dos levitas, órfãos, viúvas e estrangeiros. Mas para nós ensinam que é uma ordenança. Vou descrever algumas ordenanças da lei de Moisés (Êxodo e Levítico):
- Dízimo para o sustento dos levitas;
- Apedrejar adúlteras;
- Levar o sacrifício dos pecados;
- Não encostar-se a defuntos;
- Não comer carne de porco;
- Matar o filho desobediente;
- Circuncisão;
Entre outros, Paulo diz que aquele que torna a edificar a lei será transgressor (Gal2:8). Não há dúvidas que dízimo é da lei de Moisés.
Existe uma diferença entre Lei de Moisés e Lei de Deus, a Lei de Deus foi dada a Moisés no monte Sinai (escritas pelo dedo de Deus), que são os 10 mandamentos (Ex 20), essas mandamentos foram compactados em Gálatas 5:14. Mas a velha aliança que representa todas as ordenanças da lei de Moisés forem abolidas. Se não foram Paulo mente.
Deus juntou Israel aos gentios fazendo de todos um povo só, o que não podia ser feito antes por causa da lei de Moisés, Jesus derrubou esta separação (Ef 2:14-15), a lei nos separava da salvação (2 Co 3:6-11). A lei foi um canal para que chegássemos a Cristo, mas depois que Jesus, que é a nossa fé, veio NÃO PRECISAMOS MAIS DE CANAL (Gal 3:24-25). Se você precisa da lei prova que não está em Cristo e nega o seu sacrifício (Gal 5:4).

Hebreus 7
         Como eu disse no início desta apostila que o dízimo de Abraão era o mais importante (Gn 14:18-24), analisaremos esta passagem, pois o autor deste livro, relembra este fato:
(v1) – Melquisedeque era rei de Salém e sacerdote de Deus e que saiu ao encontro de Abraão quando ele voltava da guerra e o abençoou.
(v2) – Abraão deu o dízimo à ele de tudo (despojos de guerra), ele que é rei de Justiça de Salém e da Paz.
(v3) – Ele é sem pai, sem mãe e sem genealogia (não se conhece a origem de Melquisedeque), não tendo principio de dias nem fim (Melquisedeque só é citado esta vez na Bíblia, não se sabe onde nasceu, origem, morte nem onde foi sepultado). É feito semelhante ao filho de Deus (sem princípio e nem fim, isso é uma comparação), permanece sacerdote para sempre.
(v4) – Considerem que era muito grande este a quem até o patriarca Abraão deu os dízimos (ele era importante, pois fora comparado a Jesus).
(v5) – Os que são da tribo de Levi e recebem o sacerdócio levítico, tem ordem, segundo a lei (de Moisés), de tomar o dízimo do povo, isto é de seus irmãos.
(v6) – Mas mesmo quem não era da tribo de Levi pegou os dízimos de Abraão (Melquisedeque) e abençoou o que tinha as promessas.
(v7) – Sem contradição o menor (Abraão) é abençoado pelo maior (Melquisedeque).
(v8) – Neste caso tomam dízimos homens que morrem (Mortalidade de Melquisedeque e da tribo de Levi) ali, porém aquele de quem se testifica que vive (Jesus).
(v9) – Levi que recebe os dízimos pagou o dízimo através de Abraão.
(v10) – Por que Levi é descendência de Abraão e nasceria dele.
(v11) – De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (por que sob ele o povo recebeu a LEI), QUE NECESSIDADE HAVIA LOGO QUE OUTRO SACERDOTE SE LAVENTASSE, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão.
Observação:
O que eu entendo nesta parte é que novamente se fala que se a lei fosse completa, não era necessário Jesus vir para nos salvar.
Ordem de Melquisedeque – este nome significa Rei de Justiça, e rei de Salém quer dizer rei da Paz, Jesus demonstra o ministério do seu sacerdócio cumprindo a justiça e trazendo-nos a paz. A purificação de nossos pecados é prefigurada pela obra de Arão, mas o fato de ter sua majestade (rei), não ter início nem fim, e abençoar é segundo a ordem de Melquisedeque.
(v12) – “Por que MUDANDO-SE o sacerdócio, necessariamente se faz também MUDANÇA NA LEI”. Ou seja, Jesus é o novo sacerdote e ele tem uma nova lei.
(v13 e 14) – Esses versículos falam que tanto Jesus que veio da tribo de Judá de onde descendiam os reis, e era sacerdote segundo a tribo de Levi, como Melquisedeque que era rei e sacerdote. Melquisedeque é uma prefiguração de Jesus.
(v15 e 16) – É manifesto que ainda se semelhante à Melquisedeque se levantar outro sacerdote, que não foi feito segundo a lei do mandamento carnal (LEI DE MOISÉS), mas segundo a virtude da vida incorruptível. (Jesus)
(v17) – Porque dele assim se fala: Tu és sacerdote eternamente segundo a ordem de Melquisedeque. (Comparação)
Agora vem os versículos chave!
(v18 e 19) – Por que o PRECEDENTE MANDAMENTO É AB-ROGADO, por causa de sua fraqueza e inutilidade. (Não pode haver mais dúvidas que a lei de Moisés foi abolida). Pois a lei coisa nenhuma aperfeiçoou, desta sorte É INTRODUZIDA UMA MELHOR ESPERANÇA, pela qual chegamos a Deus.
(v20 e 21) – Ele não foi feito sacerdote sem prestar Juramento, mesmo que outros tenham sido, mas Ele foi feito sacerdote segundo o juramento “Tu és sacerdote para sempre como Melquisedeque” (Comparação).
(v22) – Jesus foi fiador de um melhor concerto.
(v23) – Muitos foram feitos sacerdotes, mas não permaneceram por causa da morte.
(v24) – Mas este (Jesus), por que permanece para sempre tem um sacerdócio perpétuo.
(v25) – Por isso pode salvar os que se achegam a Deus, e vive para interceder por eles.
(v26 e 27) – Por que era preciso um sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores e feito mais sublime que os céus, que não necessitasse de oferecer a cada dia, como os sumos sacerdotes, sacrifícios, pelos seus pecados e pelos do povo, por que Ele fez isso apenas uma vez oferecendo-se a si mesmo.
(v28) – Por que a lei faz sumos sacerdotes a homens fracos, mas a palavra do juramento que vem depois da lei, constitui ao filho, perfeito para sempre.

Há aqui uma comparação de Melquisedeque com Jesus, Abraão reconheceu que Melquisedeque estava representando alguém muito importante e ofereceu o dízimo dos despojos da guerra vencida, como um presente. O autor de Hebreus faz uma analogia entre a história de Melquisedeque e de Jesus, o reconhecimento de Abraão com um HOMEM, rei e sacerdote. Não se fala aqui para darmos o dízimo a Jesus, não vejo em todo o seu ministério terreno Jesus introduzindo a ordenança do dízimo no seu novo testamento, que seria após sua morte. Nem falando sobre devoradores que viriam sobre nós, estas coisas são ordenanças velhas para Israel e tudo isso foi AB-ROGADO, não sou eu quem falo, mas sim a palavra de Deus.

AFIRMATIVAS:
O dízimo é um tópico da lei de Moisés.
O dízimo foi abolido na morte de Jesus, juntamente com toda Lei de Moisés.

“O QUE SEMEIA POUCO...” (2Co 9)
                                                                    
No novo testamento Jesus deixa seus ensinamentos e seus apóstolos para nos mostrarem as boas novas, creio que na hora dos dízimos e das ofertas pessoas citem este capítulo nos templos; corrigindo, não citam o capítulo, mas apenas os versículos 6 e 7 desta passagem.
Analisando o capítulo inteiro perceberemos que Paulo, desde o primeiro versículo está elogiando os Coríntos: Nem preciso exortar-vos de nada, pois já sabem como tratar as pessoas que seguem a Cristo, sei que todos vocês agem com prontidão (uns para com os outros). Por isso Paulo fala bem deles aos Macedônios, tanto que Acaia (província onde se situava os Coríntos), estava pronta desde o ano anterior, e eles eram elogiados por que eram zelosos uns para com os outros. Porém Paulo estava enviando alguns irmãos, para que tudo o que deles se tem falado não se mostrasse vão, para que eles estivessem prontos.
“Peço para que fiquem preparados, pois se os Macedônios vieram comigo a sua cidade, não vos achem desapercebidos, por isso enviei estes irmãos para que fossem exortar-vos e preparassem vossa benção.”
Paulo está falando que os Corintos tratavam bem as pessoas, com amor e zelo, gostavam de servir os domésticos na fé, por isso ele sabia que se ele chegasse naquele lugar seria bem recebido e está avisando para fazer o mesmo com alguém que ele levasse junto com ele.
“E digo isto: Que o que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia em abundância em abundância também ceifará. Cada um contribua segundo propôs o seu coração, não por tristeza nem por necessidade por que Deus ama ao que dá com alegria.”
E Deus vai recompensar com abundância de GRAÇA, para que superabundemos em TODA BOA OBRA. (Aqui Ele não promete abundância de dinheiro, riquezas ou bens materiais, mas sim de graça e boas obras).
VERSÍCULO CHAVE (Agora você entenderá por que não leêm o capitulo todo...)
V.9 – “Conforme está escrito: Espalhou, DEU AOS POBRES”, a sua justiça permanece para sempre.
Simplesmente aqui está, como em todo capítulo, onde deveremos semear, uns nos outros, dar aos pobres, ajudar, sermos atenciosos e amáveis com as pessoas.
(v10 e 11) - Deus dá semente a nós que semeamos, e nos dá o pão e vai multiplicar a nossa semente (aquilo pelo qual ajudamos as pessoas), e aumentará os frutos da nossa justiça, para que em tudo enriqueçamos (em graça, conhecimento, amor, prosperidade...), por todo bem que fazemos que faz que por nós se deem graças a Deus (quando nós ajudamos, pessoas dão graças a Deus).
(v12) – Por que a administração deste serviço não vai suprir todas as necessidades dos santos, mas faz com que se tenham muitas graças dadas a Deus.
(v13) – Como prova desta administração dão graças a Deus, pela submissão (dependência) e pela liberalidade de nossos dons para com os santos e com todos. (tudo relacionado a pessoas).
(v14) - Pela oração de coríntios por eles mesmos, Paulo terá saudades, por causa da excelente graça de Deus que há entre eles.
         Se tiver uma administração tem que ser para servir as pessoas necessitadas, Paulo não fala em dar dinheiro para semear em coisas novas para o templo, mas semear nas pessoas elas são nossa terra fértil, e Deus nos recompensará. Nesta passagem Paulo não cita “ordenança do dízimo” tão repetida nos templos, apenas de ofertas voluntárias para ajudar uns aos outros e servir.

Lucas 6:38
         “Dai e ser-vos a dado, boa medida, recalcada, sacudida e transbordante, por que com a mesma medida com que medirdes, também vos medirão denovo”
         No “sermão da montanha” Jesus fala sobre alguns preceitos que teríamos que passar a viver, um destes é dar. Vou colocar um trecho da nota explicativa da Bíblia Pentecostal (1998), que não foge da linha de raciocínio de ajudar as pessoas: “Em conformidade com o princípio do amor, devemos dar aos necessitados, o próprio Deus medirá a generosidade do crente e o recompensará. A medida da bênção e da recompensa a recebermos será proporcional ao nosso interesse pelos outros e à ajuda que lhe damos.”

2 Coríntios 8
         Esta passagem fala sobre a coleta de ofertas para os irmãos pobres da Judéia, nada diferente do que eu tenho mostrado sobre ajuda ao próximo e desprendimento do dinheiro uns para com os outros.

CONCLUSÃO

         Quero dizer que Jesus não obriga ninguém a dar o dízimo nem vai castiga-lo por isso, mas se você quer continuar a dar ao templo para pagar suas dívidas e também ajudar pessoas isso não vai influir na sua salvação, mas não obrigue ninguém a fazer isso, pois segundo a palavra de Deus isso não é um mandamento.
         Se você gosta de se reunir com pessoas que ama no templo, não deixe que isso seja apenas uma reunião, mas transforme em comunhão verdadeira onde uns sabem os problemas dos outros e querem ajudar efetivamente, como está escrito em Atos 20:35 parte b “Melhor coisa é dar do que receber” Não coloque um costume acima das pessoas, não adianta ser dizimista fiel e ser alheio as necessidades de seus familiares, de alguém que te pede ajuda, ser avarento, fofoqueiro, falso e mentiroso. Dizimista fiel não é um passaporte para o céu.
Mesmo depois de toda esta explicação, segundo as escrituras, se você ainda acha que dízimo é ordenança, sabendo que sua instituição oficial foi na lei de Moisés então observe o que Paulo diz em Gal 3:10 “Todos aqueles que são das obras da lei estão debaixo de maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em TODAS as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las” , se você cumpre o dízimo e não cumpre o resto da lei de Moisés está debaixo de Maldição.
Não se esqueçam da igreja de Laodicéia, a dos últimos tempos, (Ap 5:14-22) esta igreja diz que está rica e de nada tem falta, porém Deus diz que ela é desgraçada, miserável, cega e nua, mas Ele dá um conselho que esta igreja compre dEle ouro provado no fogo para que enriqueça e vestes brancas para que se vista e unja os olhos com colírio para que veja.
Busque a Deus e saiba que Ele não está preocupado com quanto você deu este mês de dízimo, nem o quanto o templo está cheio de pessoas, mas sim com um coração transformado, sendo pobre ou rico. Deus quer moldar o caráter, encher de amor, quer que divulguemos seu evangelho a toda criatura sem imposições, quer mudança de vida realmente em uma nova criatura, isso é mais importante, legalismo não leva a nenhum lugar.
Sejamos como Jesus, Ele não buscou riquezas nem influência, não desejaria o carro do ano, nem uma mansão, pois sabe que existem milhões de pessoas que não tem o que comer, não sabia onde dormiria aquela noite, e nós somos melhores que o nosso mestre? Repito mais uma vez:
NOVO TESTAMENTO É RENÚNCIA E NÃO CONQUISTA!
O nosso reino é celestial, estamos aqui de passagem, nossa conquista é no céu, é claro que Deus pode nos dar o melhor desta terra, mas Ele vai dar aqueles que sabem o que é o amor ao próximo, ou talvez não, tudo é segundo a vontade dEle. Saber viver em Jesus é acreditar que mesmo as coisas estando difíceis passaremos por elas com a certeza de que Ele está do nosso lado, isso nos dará tranquilidade e prosperidade.
_________________________________________________________________

Obrigada!
Deus te abençoe
Letícia Romero

Bibliografia
·        Bíblia de Estudo Pentecostal – CPAD , ed 1995.




ANEXO
OBRA DE DEUS
Em João 6: 27,28 e 29 os discípulos perguntaram a Jesus o que deveriam fazer para realizarem a obra de Deus, e Jesus disse: “A obra de Deus é esta: que creiais naquele que me enviou”. Esta foi à explicação de Jesus.
Em Ef 2:8-9 e Rm 11:6 é explicado que não é pelas obras que somos salvos, mas pela graça, não precisamos fazer nada para merecer o amor de Deus o seu cuidado e a salvação, pois existem algumas religiões que ajudam o próximo fazendo muitas caridades, se fosse pelas obras deles já estariam salvos. Não é nossas ações que salvam, mas sim a fé que gera em nós a vontade de realizar as obras de Deus.
Isso é confirmado em Tiago 2:14-26, onde ele fala que “a fé sem obras é morta”, porém existe outro erro sendo ensinado. Para nós obras são: participar de um ministério, cantar, pregar, Fazer templos, fazer grandes eventos e cruzadas, etc, mas No versículo 15 o autor diz que se um irmão ou irmã estiverem nus e com falta de mantimento e algum de nós dissermos, “vai em paz, fartai-vos”, mas não dermos as coisas necessárias para o corpo, que proveito se tirará dai? Tiago explica que OBRAS é ajudar o próximo, ver a necessidade do próximo, quando a gente crê a gente pratica a verdadeira obra.