DOM DE LÍNGUAS É O MESMO QUE LÍNGUAS DOS ANJOS?


Por Letícia Romero

Hoje vamos discutir sobre dom de línguas e a tão falada língua dos anjos, posso dizer que a maioria dos cristãos confundem isso e erram por não conhecer as escrituras.

Começando sobre os dons:

A primeira vez que ouvimos falar do dom de línguas na Bíblia é em Atos 2.
“Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem.” Atos 2:4

Mas ao ler o capítulo inteiro, verificamos que não era uma língua sem sentido que eles falavam:
“Quando, pois, se fez ouvir aquela voz, afluiu a multidão, que se possuiu de perplexidade, porquanto cada um os ouvia falar na sua própria língua.” Atos 2:6



Ou seja, tudo aquilo tinha um propósito, que era evangelizar e falar as boas novas do evangelho de Cristo a todo o mundo. Jesus desejava que Seu evangelho fosse levado ao mundo, e comissionou os discípulos a levarem avante esta obra (ver Mateus 28:18-20). Mas como pregariam o evangelho para o mundo se eles não sabiam falar a língua dos outros povos? Foi com esse objetivo que Deus derramou o dom de línguas, com o objetivo de que o evangelho fosse pregado ao mundo, com o objetivo de evangelizar.



“Estavam, pois, atônitos e se admiravam, dizendo: Vede! Não são, porventura, galileus todos esses que aí estão falando? E como os ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna?” Atos 2:7-8



Pelo relato bíblico, vemos claramente que os discípulos não estavam falando línguas desconhecidas, mas línguas conhecidas por todos aqueles que haviam vindo de todas as partes do mundo.


Vamos ver o que Paulo fala sobre os dons:
A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito, visando ao bem comum. Pelo Espírito, a um é dada a palavra de sabedoria; a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra de conhecimento; a outro, fé, pelo mesmo Espírito; a outro, dons de curar, pelo único Espírito; a outro, poder para operar milagres; a outro, profecia; a outro, discernimento de espíritos; a outro, variedade de línguas; e ainda a outro, interpretação de línguas. Todas essas coisas, porém, são realizadas pelo mesmo e único Espírito, e ele as distribui individualmente, a cada um, como quer.

Aqui há uma distribuição de dons para o bem da igreja, e o variedade de linguas é um deles, porém hoje o que temos visto é um incentivo para que todos tenham esse dom, é ensinado nas igrejas que a evidência do batismo com o Espírito Santo é falar em línguas, mas como vemos no versículo nem todo mundo vai falar em línguas: Todas essas coisas, porém, são realizadas pelo mesmo e único Espírito, e ele as distribui individualmente, a cada um, como quer. Com isso aprendemos que nem todo mundo vai ter o dom de línguas.

Mas por que hoje em dia parece que quase todos os cristãos tem esse "dom"? Se formos ver na Bíblia havia uma coerência para quem recebia. Existem momentos em que o dom de línguas não é necessário, mas existem momentos em que ele é indispensável.





Filipe estava fazendo um trabalho de evangelismo na cidade de Samaria. Naquele lugar todos falavam a mesma língua – aramaico. Não era necessário para Filipe usar o dom de línguas, pois ele também falava aramaico. Ao serem batizados os samaritanos que creram, foram enviados de Jerusalém os apóstolos Pedro e João para que orassem por eles e para que recebessem o Espírito Santo:



“Então, lhes impunham as mãos, e recebiam estes o Espírito Santo.” Atos 8:17



Notem que é dito que receberam o Espírito Santo, mas não é dito que falaram em línguas. Porquê? Simplesmente porque todos naquele lugar falavam a mesma língua e este dom não era necessário ali.



Existiam algumas cidades, no entanto, nas quais era imprescindível que fosse dado o dom de línguas, como era o caso de Éfeso e Corinto. Estas cidades eram muito importantes em sua época, eram fortes portos marítimos donde vinham pessoas de todas as partes da Terra para realizarem os seus negócios. Para os crentes nestas cidades, era necessário o dom de falar em outras línguas para que pudessem evangelizar. De Éfeso, o livro de Atos diz que ao aceitarem a Cristo e serem rebatizados em Seu nome, receberam o Espírito Santo; “e tanto falavam em línguas como profetizavam” (ver Atos 19:1-6).


Hoje em dia além de ignorarem o versículo:  "Tudo, porém, seja feito com decência e ordem" 1 CO 14:40
Estão obrigando as pessoas a falar uma língua sem sentido que alegam ser "línguas de anjos" mas já vamos falar sobre isso.

Paulo discorre sobre o dom de línguas....Já vemos até agora que o dom de línguas é falar em outros idiomas a fim de anunciar o evangelho.



A igreja de Corinto, por estar situada em uma cidade muito ímpia, era uma igreja cheia de problemas. Todos os problemas que uma igreja possa ter, esta igreja tinha.




Em sua carta aos coríntios, o apóstolo Paulo encheu esta igreja de repreensões: no capítulo três de I Coríntios, o apóstolo os exorta dizendo que eles não eram maduros espiritualmente falando (I Cor. 3:1-4); no capítulo cinco ele fala a respeito de um sério problema de fornicação e adultério ocorrendo na igreja (I Cor. 5:1); no capítulo seis é dito que alguns irmãos estavam levando os outros perante os tribunais do mundo (I Cor. 6:1-4); no capítulo sete ele fala com respeito aos problemas conjugais naquela igreja (I Cor. 7:25-40); no capítulo oito ele diz que os membros desta igreja estavam comendo carnes sacrificadas aos ídolos; no capítulo nove, é dito que estes crentes estavam faltando com seus deveres para com Deus; no capítulo dez é mostrado que estes crentes estavam também envolvidos com o problema da idolatria (I Cor. 10:14); no capítulo onze é dito que estavam cometendo abusos com respeito a ceia do Senhor (I Cor. 11:20-22); e por fim, no capítulo doze o apóstolo Paulo relata sobre os problemas com respeito aos dons espirituais:



“A respeito dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes.” I Cor. 12:1



Os crentes de Corinto não compreendiam o propósito dos dons espirituais. Estavam causando confusão na igreja de Deus por serem ignorantes quanto aos quais. Já vimos acima que o dom de línguas fora dado por Deus com o objetivo de evangelizar os de outros territórios, mas na igreja de Corinto o propósito havia sido pervertido, ao invés de usarem o dom para o evangelismo (como de fato era o propósito), estavam usando para “se aparecer” na igreja:



“Pois quem fala em outra língua não fala a homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende, e em espírito fala de mistérios.” I Cor. 14:2



*[NOTA: Algumas versões da Bíblia trazem escrito “língua estranha”, no entanto, a palavra “estranha” não consta nos manuscritos originais das Escrituras.]



Vejam pelo verso acima que os irmãos de Corinto estavam pervertendo o uso do dom. Não estavam usando este dom para pregar, mas para falar com Deus. No entanto, o dom de línguas não fora dado para conversar com Deus, e sim para evangelizar os incrédulos:



“De sorte que as línguas constituem um sinal não para os crentes, mas para os incrédulos…” I Cor. 14:22



Se não são sinal para os crentes por que hoje dizem que o sinal de um cristão genuinamente batizado é falar em línguas? Pelo que vemos Paulo diz que o dom de línguas é um sinal para os incrédulos, por que esses entenderiam as línguas e se converteriam. Mas hoje em dia, creio que nenhum país entenderia o que é falado.

Paulo diz que se alguém for falar em outra língua na igreja, deve haver intérprete (I Cor. 14:5). Também disse aos coríntios que se eles não falassem palavras que os seus irmãos pudessem entender, eles estariam falando ao ar (v. 9). E no verso dez ele diz:




“Há, sem dúvida, muitos tipos de vozes no mundo; nenhum deles, contudo, sem sentido.” I Cor. 14:10


"Se, pois, toda a igreja se congregar num lugar, e todos falarem em línguas, e entrarem indoutos ou infiéis, não dirão porventura que estais loucos?"




"Todavia eu antes quero falar na igreja cinco palavras na minha própria inteligência, para que possa também instruir os outros, do que dez mil palavras em língua desconhecida."


1 Coríntios 14:19



Hoje o que mais se busca e o que mais se honra é o dom de línguas, que é muito importante, porém existem outros dons também muito importantes, como já vimos antes.

Pelo que vemos o dom de línguas é falar na língua de outro país: 

Mas, se eu ignorar o sentido da voz, serei estrangeiro para aquele a quem falo, e o que fala será estrangeiro para mim.




Então surge uma pergunta. Se o dom de línguas é falar em língua estrangeira o que é essa língua que as pessoas tem falado? Língua dos anjos?




Se formos estudar a Bíblia percebemos que em toda história da igreja não é mencionado que os apóstolos ou recém convertidos falavam língua de anjos. O único versículo que fala sobre Língua dos anjos está em 1 Coríntios 13:1 

"Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine."




Percebemos que Paulo neste capítulo usa vários exageros para nos informar que nada que façamos, por mais honroso, sem amor não tem validade nenhuma.

Não há neste versículo referência ao dom de línguas, ele está falando sobre o amor. 
Nos explica que mesmo se (Ainda que) ele falasse a língua que os anjos falam no céu, sem amor nada seria. 

Então é errado falarem que as línguas que são faladas hoje são línguas de anjos. Não existe dom com língua de anjos, o dom de línguas são línguas estrangeiras.

"Dou graças a Deus, porque falo em outras línguas mais do que todos vós. Contudo, prefiro falar na igreja cinco palavras com o meu entendimento, para instruir outros, a falar dez mil palavras em outra língua.” I Cor. 14:18-19




No texto acima o apóstolo nos diz que falava mais línguas do que todos os crentes daquela igreja. Mas por que ele falava mais línguas do que todos os outros? Simplesmente porque ele era quem mais precisava deste dom. Como evangelista mundial que era, em cada país que ele chegava era um idioma diferente e como o dom de línguas fora dado para a pregação da Palavra, ele recebeu o dom de falar em diversos idiomas diferentes para que o evangelho fosse levado avante. Deu certo? Sim! Deu certo! Na carta aos Colossenses, o apóstolo diz que o evangelho havia chegado a todas as partes do mundo (ver Col. 1:3-6). Não tivesse sido pela manifestação especial do dom de línguas dado por Deus e isso nunca teria ocorrido.


Então surge uma última pergunta:
O que são essas línguas faladas hoje em dia? Sabemos que não são línguas de anjos e nem estrangeiras....

Até então na igreja primitiva, não vemos isso, e não existem relatos sobre essas línguas na idade média ou moderna, porém vemos isso no início do movimento pentecostal, que aconteceu na Rua Azuza em Los Angeles e se espalhou pelo mundo, muitos chamam de o "Grande avivamento" para saber melhor sobre o surgimento dessas línguas, você terá que saber a história do pentecostalismo e como surgiu, Para que você tire suas conclusões e não seja levado (a) apenas pela minha opinião sugiro você a ler e reler a Bíblia, questionar, pensar, não apenas rejeitar tudo o que eu disse como heresia por que não concorda com suas opiniões aprendidas desde a infância.

Deus não tratará ninguém por inocente.


Leia a história da rua Azusa e peça a Deus direção e confirmação sobre o que está certo e o que está errado.


Se você tem o dom de línguas, isso é muito edificante para igreja, pois pode evangelizar em outras línguas e alcançar mais pessoas para o reino.



Finalizo com um versículo:
Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Gálatas 1:8


Fonte de estudo: http://papablog.com.br/o-verdadeiro-dom-de-linguas-linguas-estranhas/

Um comentário:

João Guardiano disse...

Eu me converti numa Igreja tradicional Presbiteriana do Brasil. Atualmente frequento a Assembléia de Deus que é Pentecostal. Obswervo alguns membros falando alabachéia Candelai e outros Alabachés. Apenas acho engraçado mas percebo que não é dom de línguas. Outro erro das igrejas pentecostais:- Chamam o Púlpito de Altar, Púlpito nunca foi nem será um Altar. Eu aprendi na Presbiteriana que Altar é lugar de sacrifício. Isto também acho engraçado, mas não entro em questão, senão irão dizer que estou querendo bater de frente com a doutrina. Eu vou na igreja para louvar e glorificar a Deus. Hoje não temos nenhuma igreja que realmente faz a obra de Deus corretamente, ou seja fazer uma obra social no bairro, ajudando os necessitados.A maior parte dos Dízimos mandam para o Ministério.
Podem divulgar meu nome completo e email:- Sou destemido apenas Temo ao Senhor.
João Guardiano Cardoso Email:- guardiano.seguranca@gmail.com