IDENTIFICANDO OS FALSOS PROFETAS - MIKE MURDOCK

"Isso não é de admirar, pois o próprio Satanás se disfarça de anjo de luz.
Portanto, não é surpresa que os seus servos finjam ser servos da justiça. O fim deles será o que as suas ações merecem." 2 Coríntios 11:14-15




Perseguição religiosa contra esse "homem de Deus" ? Analise você mesmo.










Michael Dean Murdock, mais conhecido como Mike Murdock, (Lake Charles, Louisiana, 18 de abril de 1946), é autor de mais de 200 livros. Já publicou oito livros em português e vinte e dois em espanhol. Filho de pastor, é também pastor protestante há mais de 35 anos e conferencista internacional. Fundador do que denomina: "Centro da Sabedoria". Pertence ao grupo de palestrantes que ensinam "chaves" de prosperidade. Foi o primeiro a publicar uma Bíblia Temática, hoje uma constante nos meio das publicações de Bíblias. Tem um programa televisivo semanal com o título: "Chaves de Sabedoria com Mike Murdock". O mesmo programa é diário em rádio. Compositor de algumas canções que já foram gravadas por cantores gospel.


O pastor Mike Murdock enfatiza a necessidade de sabedoria. Ele escreveu dezenas de livros sobre o assunto e criou, inclusive, o Centro de Sabedoria, sede de seu ministério em Fort Worth, Texas.

Mas quando ele se tornou famoso, aparecendo em programas diversos e sempre comparando a busca por sabedoria com o acúmulo de riquezas, passou a chamar atenção de muita gente dentro e fora da igreja.

O jornal texano Star-Telegram fez, em 2003, uma série de reportagens investigativas sobre O Centro de Sabedoria e o ministério de Mike Murdock. A questão levantada pelos repórteres era o acúmulo de riquezas por um pastor que afirmava manter uma organização sem fins lucrativos. O jornal, dedicou um grande espaço para mostrar os jatinhos e carrões que ele possuía, além dos esplendores da imensa propriedade de 7 hectares que Murdock mantém em Argyle, Texas.


Naquela ocasião, o Star-Telegram contou com o apoio da Trinity Foundation [Fundação Trindade], que se descreve como uma organização disposta a “monitorar e investigar a fraude religiosa desde 1987”. O próprio pastor Mike contou, quando esteve no Brasil, que depois de muitas investigações do departamento de Imposto de Renda e do jornal, nada ficou provado e ele nunca foi condenado.

Em 2011, novamente Mike Murdock e seu ministério estão sendo acusado de fraudes, mas de uma maneira diferente.

O ex-missionário Brian “Trey” Smith publicou um livro chamado “Thieves: A dirty TV pastor and the man who robbed him” [Ladrões: um pastor da TV desonesto e o homem que o roubou], onde descreve, com riqueza de detalhes, os bastidores do ministério de Murdock e sua obsessão, a exemplo de Salomão, por mulheres e riquezas.

Em 1998, Trey estudava no seminário Cristo para as Nações, em Dallas. Seu melhor amigo naquela época era Jason Murdock, filho único do pastor Mike. Ele diz que rapidamente passou a ficar íntimo da família e passava horas na mansão da família e conheceu uma “sala secreta”, que possuía alarmes eletrônicos e abrigava um grande forte.


Trey e Jason passavam horas naquela sala, experimentando os caros relógios Rolex, pulseiras de ouro e anéis de diamante, jogando cara ou coroa com valiosas moedas antigas e folheando uma grande coleção de revistas pornô.  

Eles também faziam uso de bebidas alcoólicas e drogas. 

Aos poucos, Trey relata que foi ficando com raiva de ver o pastor Murdock aparecer na TV o tempo todo falando sobre Deus enquanto vivia uma vida que não condizia com suas pregações. Ele relata que o pastor Murdock mantinha um mini-zoológico, que incluía inclusive um leão de estimação, várias limusines e vivia acompanhado de prostitutas de luxo.


Em seu livro ele descreve a situação assim:
“Considerava a sala secreta de Mike uma conta pessoal, onde podia fazer saques pequenos enquanto, em troca, mantinha minha boca fechada. É um fardo viver em uma bolha cristã, sem nunca poder falar sobre o paraíso escondido do pregador, com prostitutas siliconadas, brinquedos sexuais, pornografia pesada, e tudo que o dinheiro podia comprar… Em minha mente, era tudo um comércio, um arranjo sórdido…

Naquela época, eu entrava no closet do pai do meu melhor amigo como o cara que descobriu a tumba do faraó. Havia caixas e caixas de anéis, braceletes e colares de ouro, moedas raras e uma desorganizada coleção de selos muito valiosos… Mas nada se comparava ao que imaginávamos haver dentro do grande cofre, que ficava no meio do quarto. 

Nunca conseguimos abri-lo, mas passei a deseja-lo. Sonhava com isso, fantasiava como seria… Não queria apenas roubar o seu dinheiro… Mais do que isso, eu tinha realmente aprendido a odiar aquele homem e tudo que ele representa. 

Odiava as mentiras, o engano, a ganância, os acordos de bastidores, os segredos, o sexo e toda a dor que ele causava aos cristãos falando sobre a necessidade de eles terem fé no “deus dólar”. 

Para mim, dentre os televangelistas, Mike Murdock era o pior. Enquanto o mundo estava assistindo-o pregar de terno, gravata e Bíblia aberta em suas telas de televisão, eu conhecia os lugares que ele nunca mostraria perante as câmeras. 



Eu sentia que todos seus mantenedores tinham sido injustiçado. Iria apenas consertar as coisas. Eu sabia que praticamente nada daquele dinheiro era destinado para o que Murdock chamava de “instituições de caridade.”Eram apenas uma fachada que ajudavam a manter seu desejo por ter ouvintes obedientes, posses terrenas, contas bancárias de grande porte, mulheres bonitas, escapadas sexuais e sede de poder.

Por todas estas razões, eu não me sentia nem um pouco mal por tomar até o último centavo que ele tinha. Eu não era herói. Eu tinha me tornado um canalha sujo e podre como todos eles.” 

Trey acabou usando seus conhecimentos e familiaridade com a mansão para roubar o cofre de Murdock enquanto ele estava em sua viagem anual a Israel em 1999. Sabendo a combinação dos alarmes, entrou na sala secreta e fugiu para o México. 

No relatório para a polícia, Murdock afirmou que no cofre havia 125 mil dólares, nos vídeos disponíveis na internet ele diz que foram milhões. Trey afirma que foi tudo uma armação, o pastor teria colocado pilhas de papel cortadas do tamanhão de notas verdadeiras e escrito um bilhete dizendo que jamais perdia, que sua fortuna estava a salvo no banco e que iria atrás do ladrão. Com medo do que podia acontecer, Trey fugiu para o México sem dinheiro e com mais raiva ainda do pastor.

Depois de extensa investigação nos Estados Unidos, provas contra Trey foram reunidas, mas ele estava fora do alcance da lei americana. Murdock então contratou investigadores particulares que o rastrearam quando ele voltou para os Estados Unidos.

Ele respondeu por esse roubo e outras acusações e cumpriu pena numa penitenciária durante quase uma década. Enquanto estava preso, escreveu boa parte seu livro, onde diz relatar com detalhes muitos outros segredos do ministério de Murdock e também de outros pastores conhecidos.

Trey Smith agora se diz arrependido e livre das drogas, e que deseja mostrar ao mundo que está mudado. Afirma ter se reconciliado com Deus, mas continua disposto a mostrar quem realmente é o pastor Mike Murdock. Além de publicar Thieves de maneira independente em forma impressa e como ebook, Trey mantém o site godinanutshell.com que oferece várias informações sobre seu passado e traz “provas” de seu roubo e de todas as acusações que faz.


A revista texana D Magazine publicou o primeiro capítulo do livro e tentou ouvir o pastor Murdock ou alguém que pudesse falar em nome do Centro de Sabedoria. Não teve resposta.
 

O pastor Ciro Zibordi escreveu em seu blog uma crítica a pastores da teologia da prosperidade como o pregador Mike Murdock que incentiva os fiéis a entregarem dinheiro nas igrejas para receberem mais dinheiro

A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE é muito criticada, mas ao mesmo tempo as igrejas que a pregam são as que mais crescem no Brasil e em outros países do mundo. 

Mas para o pastor da Assembleia de Deus em Cordovil, no Rio de Janeiro, esse evangelho pregado por pastores como Murdock é um outro evangelho. “Ele prega ‘outro evangelho’ (II Coríntios 11.4), que induz os incautos a acreditarem que a vida cristã se limita a ‘semear’ e ‘colher’ dinheiro, bens e riquezas”, escreve. 

Zibordi explica em seu texto que passagens bíblicas como a II Coríntios 9 ensinava os cristãos a ofertarem movidos por generosidade e não por necessidade, como que desejando colher mais do que foi semeado. “Paulo apresentou a lei do “semear e colher” com a intenção de despertar os crentes de Corinto para o auxílio generoso aos pobres. Seu ensino nada tem a ver com desafios para obter riquezas ou para comprar aeronaves, casas, carros, etc.”


Na visão do pastor essa passagem é pregada fora de seu contexto, pois quando Paulo diz que quem semeia pouco, colherá pouco e quem semeia com fartura com abundância ceifará ele não estava dizendo que os membros da igreja de Corinto ofertassem esperando receber algo em troca, mas que contribuíssem com espontaneidade e alegria. 

“Se o que nos estimula a contribuir para a obra do Senhor é prioritariamente a generosidade, por que Murdock e seus discípulos usam de pressão psicológica e poder de persuasão?”, questiona Ciro Zibordi. 

“O evangelho pregado por Mike Murdock nada tem a ver com o verdadeiro Evangelho. Esse famoso palestrante, infelizmente, faz parte do seleto grupo de telemilionários que andam pelo mundo espalhando invencionices”, disse. 

Encerrando o texto, Zibordi orienta seus leitores a procurarem os ensinamentos de Jesus que estão em Mateus 5-7,24,25, João 13-17 e Apocalipse 2-3. “Verifique se o Senhor Jesus estimula os seus servos a buscarem riquezas materiais”, diz. 

Murdock conta sobre sua infância e juventude quando, segundo ele, vivia com grandes dificuldades financeiras apesar de ser oriundo de uma família cristã. O pastor contou que seu pai era um homem que dedicava horas e horas de seu dia para orar, mas que, ainda assim, viviam em uma situação de miséria.

Murdock afirma que seus conceitos sobre Deus e o dinheiro começaram a se moldar quanto ele tinha 18 anos de idade e não podia ir para uma escola bíblica pois seu pai não tinha condições de pagar os 4 dólares por dia que a escola custava. Ele afirma ter ficado chocado por ter um pai que amava a Deus, orava até 10 horas por dia, mas que não tinha 4 dólares por dia.


- Como você pode pregar a respeito de um Deus que cura o câncer, um Deus que pode te libertar do alcoolismo, te libertar da cocaína, consertar seu casamento… um Deus que pode fazer tudo, mas ele não te dá quatro dólares por dia? – questionou o pastor.
- Eu não queria servir a um Deus, que fazia as pessoas pobres – completou Mike Murdock.

O pastor afirmou então que, com o tempo, foi aprendendo que “a pessoa de Jesus me prepara para a eternidade, mas os princípios de Deus criam minha prosperidade”. Ele disse ainda que “os princípios de Deus funcionam para a terra” enquanto a pessoa de Jesus o “prepara para a morte”.

Segundo Murdock, ele não ora por dinheiro porque “a oração não é a semente pra o dinheiro”. Ele afirma, porém que “a aliança financeira mais poderosa da terra está em Salmos 112”. Segundo ele, a passagem bíblica mencionada ensina que aqueles que amam, não a Deus, mas aos seus ensinamentos, serão abençoados no âmbito financeiro.

Em seguida o pastor afirmou que daria instruções para dobrar as finanças de seus ouvintes em 12 meses, ou até mesmo mais rápido. Citando seu livro “31 Razões por que as pessoas não recebem a sua colheita financeira”, ele afirmou que depois de começar a seguir as instruções que escreveu na publicação, Deus começou a dar a ele jatinhos particulares e casas pagas. Ele afirmou ainda crer que a pobreza é uma decisão. 

Ao falar sobre as “chaves para o dinheiro”, ele afirma que a pessoa deve “entender o caráter de Deus”: Segundo ele, com esse propósito a pessoa vai entender que Deus quer que ela tenha dinheiro. Citando novamente um de seus livros sobre finanças, ele afirma que onde existe um problema para ser resolvido, existe um trabalho através do qual se pode obter ganhos financeiros. Ele completou dizendo que “Deus deve uma recompensa financeira às pessoas”.



Murdock falou ainda sobre as 4 coisas que uma pessoa deve dizer a seu chefe, para nunca perder o emprego:
1- Você nunca vai precisar repetir uma instrução;
2- Eu termino toda instrução que recebo;
3- Eu concordo com qualquer pessoa na equipe;
4- Serei a pessoa mais fácil para você corrigir;

O pastor afirma ser impossível uma pessoa que segue essas quarto instruções perder seu emprego.

Para finalizar, o Mike Murdock afirma que as pessoas “devem fazer negócios com Deus”, para que obtenham a prosperidade financeira. Falando sobre a chamada “lei da semeadura”, o pastor afirmou que uma pessoa não pode comprar um milagre de Deus com dinheiro, mas tem “o direito de pedir uma colheita para toda semente que semear”.



 http://noticias.gospelmais.com.br/mike-murdock-nao-queria-servir-deus-fazia-pessoas-pobres-64778.html
http://scristiane26.blogspot.com.br/2011/02/mike-murdock-biografia.html
http://www.adalagoas.com.br/biografia/?vCod=7093&idioma=pt
http://noticias.gospelprime.com.br/mike-murdock-centro-de-sabedoria-segredos-sujos-livro/

Nenhum comentário: